PGR paralisa julgamento no CNMP faltando um voto para abrir processo contra Deltan

O Conselho Nacional do Ministério Público analisava o pedido de abertura de processo disciplinar contra Deltan Dallagnol por comentário políticos feitas contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL) em redes sociais. Faltando um voto para aprovar a abertura do processo, o julgamento foi suspenso nesta terça-feira (24) a pedido do procurador-geral da República interino, Alcides Martins

(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com o voto favorável de sete integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) - sendo que para abertura do processo disciplinar são necessários oito -, o julgamento para apurar se o procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força tarefa da Lava Jato em Curitiba, cometeu infração disciplinar ao postar em redes sociais mensagens contrárias ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), foi suspenso nesta terça-feira (24).

O julgamento foi paralisado a pedido do procurador-geral da República interino, Alcides Martins, que queria mais tempo para analisar a questão. O conselho negou afastar Deltan do cargo.

Ao todo, o conselho é formado por 14 membros, sendo que sete votou favorável à abertura do processo, outros dois conselheiros votaram contra, três conselheiros decidiram aguardar o voto de Alcides Martins e um não estava presente. Ainda não há data para retomada do caso.

A ação proposta por Calheiros, denuncia que o procurador fez campanha na internet contra sua candidatura a presidente do Senado. Nas mensagens, Dallagnol afirmava que, se Renan assumisse o cargo, ações contra a corrupção seriam dificultadas.

Com informações do G1.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email