PMs que mataram publicitário conseguem habeas corpus

Ricardo Aquino foi morto pela polícia porque teve um celular confundido com uma arma; ontem, foi a missa de sétimo dia

PMs que mataram publicitário conseguem habeas corpus
PMs que mataram publicitário conseguem habeas corpus (Foto: Edu Saraiva/Divulgação)

247 – Os policiais militares Robson Tadeu do Nascimento Paulino, Luiz Gustavo Teixeira Garcia e Adriano Costa da Silva conseguiram ontem uma importante vitória judicial. Os três, que tiveram participação na morte do publicitário Ricardo Aquino, no último dia 18, foram beneficiados por um habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Na ação, condenada pelo comando da PM, os três perseguiram o carro do publicitário e o assassinaram porque, supostamente, confundiram um celular com uma arma. Agora, se o habeas corpus do TJ for confirmado pelo Tribunal de Justiça Militar, eles serão soltos e poderão, inclusive, voltar a atuar nas ruas da capital paulista.

O suposto descontrole da polícia militar em São Paulo, que mata mais do que a dos Estados Unidos, gerou uma representação do Ministério Público Federal, que pede o afastamento da cúpula da organização.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247