Pochamann: Temer mantém economia prisioneira à armadilha recessiva

"Com o nome de austeridade fiscal, Temer desmonta o Estado, mantendo a economia prisioneira à armadilha recessiva e a sociedade contaminada pela regressão do desemprego e precarização do trabalho. O esvaziamento do BNDES visa garantir recursos somente para a solvência do rentismo", afirmou o economista Márcio Pochmann

Pochamann: Temer mantém economia prisioneira à armadilha recessiva
Pochamann: Temer mantém economia prisioneira à armadilha recessiva (Foto: Esq.: Elza Fiúza - ABR)

247 - O economista Márcio Pochmann voltou a bater no governo Michel Temer, o mais rejeitado desde a redemocratização.

"Com o nome de austeridade fiscal, Temer desmonta o Estado, mantendo a economia prisioneira à armadilha recessiva e a sociedade contaminada pela regressão do desemprego e precarização do trabalho. O esvaziamento do BNDES visa garantir recursos somente para a solvência do rentismo", escreveu o estudioso em sua conta no Twitter.

Pochmann havia dito que "a face mais cruel do governo Temer se apresenta no tratamento dos pobres. Enquanto libera isenções e renúncias fiscais aos ricos, anuncia mais um corte no gasto social. Agora no Beneficio de Prestação Continuada (BPC) que atende idosos e deficientes em situação de miséria".

"Arrecadação dos tributos voltará a crescer acima do PIB com a retomada sustentada do crescimento econômico fundado na reindustrialização nacional e as medidas tributárias que permitam reduzir desonerações fiscais e a prática dos Refis (parcelamento e abatimento de dívidas)", acrescentou.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247