Pochmann: a Lava Jato optou pela subordinação aos EUA

"Nos 5 anos de sua existência, a Lava jato construiu o seu legado com a destruição de setores econômicos, bem como o comprometimento do poder judiciário, jogando fora a sua imparcialidade nos seus atos e optando, inclusive, pela via da política partidária e subordinação aos EUA", afirmou o economista Marcio Pochmann

(Foto: MARCELLO CASAL JR - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O economista Marcio Pochmann alertou para os impactos econômicos da Operação Lava Jato, que efetuou condenações de empresários, mas não preservou empregos.

"Nos 5 anos de sua existência, a Lava jato construiu o seu legado com a destruição de setores econômicos, bem como o comprometimento do poder judiciário, jogando fora a sua imparcialidade nos seus atos e optando, inclusive, pela via da política partidária e subordinação aos EUA", escreveu o estudioso no Twitter.

"Ao seguir a teoria do realismo periférico, que não cabe protagonismo ao Brasil no mundo, Bolsonaro avança na subordinação explícita aos EUA, assumindo, com 17 países, a condição de aliado prioritário extra-Otan. Joga fora o ganho de ser soberano na disputa geopolitica global", isse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247