Pochmann critica entreguismo na aviação: o capital não tem pátria

"Como toda corporação transnacionais revela, o capital não tem pátria. Por isso que não se pode estranhar a indicação da Boeing de retirar do Brasil, o emprego, a produção e tecnologia da Embraer, salvo analistas 'cabeça de planilha' defensores do receituário neoliberal", afirmou o economista Márcio Pochmann

Pochmann critica entreguismo na aviação: o capital não tem pátria
Pochmann critica entreguismo na aviação: o capital não tem pátria (Foto: Esq.: Elza Fiúza - ABR )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O economista Márcio Pochmann criticou a transferência de tecnologia e produção da Embraer para seu território para a Boeing. De acordo com as companhias, a totalidade das operações de aviação comercial da Embraer ficou em US$ 4,75 bilhões, com a Boeing desembolsando US$ 3,8 bilhões pelos 80% de participação no negócio.

"Como toda corporação transnacionais revela, o capital não tem pátria. Por isso que não se pode estranhar a indicação da Boeing de retirar do Brasil, o emprego, a produção e tecnologia da Embraer, salvo analistas 'cabeça de planilha' defensores do receituário neoliberal", escreveu o estudioso no Twitter.

Estão em andamento planos para a instalação nos Estados Unidos de uma linha de produção do cargueiro militar KC-390, uma das obras-primas da aviação mundial. O KC-390 é um dos projetos aeronáuticos mais elogiados do mundo e atendo a funções múltiplas em logística. Também pode ser usado para transporte de cargas, abastecimento, remoção de feridos e mais uma série de aplicações complexas.

De acordo com reportagem do jornal Valor, o "relatório recente do Bank of America, assinado por Ronald Epstein, um dos mais respeitados analistas do setor aéreo, trazia a informação sobre o plano de levar o KC aos EUA. A Embraer não quis comentar. Mas o Valor apurou que, em conversas com analistas de ações fora do Brasil, os executivos da Embraer têm falado genericamente sobre essa negociação em curso".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247