Polícia do Pará diz que grupo bolsonarista Direita Unida Renovada ameaçou de morte jornalista que revelou queimadas

A Polícia Civil do Pará já identificou e responsabilizou o autor das ameaças ao jornalista Adécio Piran, editor do jornal Folha do Progresso, na cidade de Nova Progresso (PA), que denunciou o "Dia do Fogo", acontecido em 10 de agosto, um dos principais fotos dos incêndios da floresta amazônica nas últimas semanas. O líder do grupo de fazendeiros bolsonaristas incendiários é Donizete Severino Duarte, administrador de um grupo de WhatsApp denominado “Direita Unida Renovada”. Ele é também o autor das ameaças ao jornalista

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Civil do Pará já identificou e responsabilizou o autor das ameaças ao jornalista Adécio Piran, editor do jornal Folha do Progresso, na cidade de Nova Progresso (PA), que denunciou o "Dia do Fogo", acontecido em 10 de agosto, um dos principais fotos dos incêndios da floresta amazônica nas últimas semanas.  

O líder do grupo de fazendeiros bolsonaritas incendiários é Donizete Severino Duarte, administrador de um grupo de WhatsApp  denominado “Direita Unida Renovada”. Ele é também o autor das ameaças ao jornalista. 

Em nota, a Polícia Civil informa que Donizete Duarte já foi responsabilizado pelas ameaças o cita como autor de crimes contra a honra e contra a pessoa do jornalista, através de publicações na Rede Social. Caberá ao Ministério Público Estadual dar prosseguimento ao caso.

Panfletos difamatórios 

Além das ameaças nas redes sociais, Adécio também foi vítima de panfletos difamatórios que circularam na região. A Polícia Civil segue as investigações a respeito da autoria do panfleto. 

Em Nota, o Governo do Pará garante que “a Polícia Militar recebeu determinação para acompanhar o caso e cuidar da segurança do jornalista”. 

Veja a nota e leia mais aqui. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247