Polícia pede prisão preventiva de PM que baleou lutador Leandro Lo na cabeça

O policial Henrique Velozo, que atirou na cabeça de Lo durante um show em SP, está foragido; lutador teve morte cerebral confirmada, diz advogado

www.brasil247.com - PM Henrique Velozo
PM Henrique Velozo (Foto: Reprodução / redes sociais)


247 - A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do policial militar Henrique Velozo, que atirou na cabeça do lutador Leandro Lo, campeão mundial de jiu-jitsu, durante um show na madrugada deste domingo (7) em São Paulo. A informação é da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP). O PM está foragido.

Lo está internado em estado gravíssimo no Hospital Arthur Saboya, no Jabaquara, após ter sido socorrido durante a madrugada. O advogado da família do lutador, Ivan Siqueira Júnior, informou à TV Globo que a morte cerebral do atleta foi confirmada.

O episódio aconteceu dentro do Clube Sírio, na zona sul de São Paulo, durante um show do grupo de pagode Pixote. De acordo com as testemunhas, o lutador teria imobilizado o policial após uma discussão. Ao ser liberado, o agente da PM teria dado alguns passos para frente e disparou contra a cabeça do lutador à queima roupa.

O policial estava de folga. A Polícia Militar disse lamentar o ocorrido e que já abriu um inquérito administrativo para investigar o ocorrido.

Redes sociais

Alguns prints da conta de Henrique Velozo no Instagram circulam neste domingo nas redes sociais, mas a conta em si está desativada. As publicações são em sua maior parte de fotos do próprio PM. Em uma delas ele segura uma arma num clube de tiro e escreve: “A arma de fogo anula a tirania do mais forte e protege a integridade do mais fraco”.

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email