Porto Seguro xinga Lula no Twitter

Com o anúncio do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma, uma mensagem ofensiva contra o petista foi publicada no perfil da seguradora no microblog: “Lula como Ministro? Vai tomar no cu.”, dizia o tweet, seguindo-se um link para uma petição do Avaaz; internautas reagiram e a publicação foi apagada momentos depois

Com o anúncio do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma, uma mensagem ofensiva contra o petista foi publicada no perfil da seguradora no microblog: “Lula como Ministro? Vai tomar no cu.”, dizia o tweet, seguindo-se um link para uma petição do Avaaz; internautas reagiram e a publicação foi apagada momentos depois
Com o anúncio do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma, uma mensagem ofensiva contra o petista foi publicada no perfil da seguradora no microblog: “Lula como Ministro? Vai tomar no cu.”, dizia o tweet, seguindo-se um link para uma petição do Avaaz; internautas reagiram e a publicação foi apagada momentos depois (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Revista Forum

Uma postagem do perfil da empresa Porto Seguro no Twitter causou polêmica nas redes sociais na tarde desta quarta-feira (16). Com o anúncio do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma, uma mensagem ofensiva contra o petista foi publicada no microblog.

“Lula como Ministro? Vai tomar no cu.”, dizia a mensagem, seguindo-se um link para uma petição do Avaaz. Internautas reagiram e a publicação foi apagada momentos depois, não sem antes ser printada por alguns usuários.

Em e-mail enviado ao site Blue Bus, a seguradora diz estar apurando o episódio. “A Porto Seguro está apurando o ocorrido em sua conta do Twitter e ressalta que ações dessa natureza vão contra suas diretrizes e valores.”

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247