Powerpoint mostra como sangria da Lava Jato está sendo estancada

Consumado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, a elite política e a mídia trabalham em conjunto novamente, agora para barrar a Operação Lava Jato e finalizar o roteiro descrito pelo senador Romero Jucá (PMDB) na conversa com Sérgio Machado; Carta Capital mostra como fevereiro tem sido mês crucial nessa agenda intensa de ações de Michel Temer a aliados; revista montou um Powerpoint com os 14 atos que revelam a movimentação para "estancar a sangria" provocadas pelas investigações; entre as ações estão as eleições de Eunício Oliveira (PMDB) para a presidência do Senado e Rodrigo Maia (DEM) no comando da Câmara dos Deputados; os dois são citados nas investigações da Lava Jato

Consumado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, a elite política e a mídia trabalham em conjunto novamente, agora para barrar a Operação Lava Jato e finalizar o roteiro descrito pelo senador Romero Jucá (PMDB) na conversa com Sérgio Machado; Carta Capital mostra como fevereiro tem sido mês crucial nessa agenda intensa de ações de Michel Temer a aliados; revista montou um Powerpoint com os 14 atos que revelam a movimentação para "estancar a sangria" provocadas pelas investigações; entre as ações estão as eleições de Eunício Oliveira (PMDB) para a presidência do Senado e Rodrigo Maia (DEM) no comando da Câmara dos Deputados; os dois são citados nas investigações da Lava Jato
Consumado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff, a elite política e a mídia trabalham em conjunto novamente, agora para barrar a Operação Lava Jato e finalizar o roteiro descrito pelo senador Romero Jucá (PMDB) na conversa com Sérgio Machado; Carta Capital mostra como fevereiro tem sido mês crucial nessa agenda intensa de ações de Michel Temer a aliados; revista montou um Powerpoint com os 14 atos que revelam a movimentação para "estancar a sangria" provocadas pelas investigações; entre as ações estão as eleições de Eunício Oliveira (PMDB) para a presidência do Senado e Rodrigo Maia (DEM) no comando da Câmara dos Deputados; os dois são citados nas investigações da Lava Jato (Foto: Aquiles Lins)

247 - Consumado o golpe contra a presidente Dilma Rousseff (PT), as forças políticas dominantes e a mídia golpista agora trabalham em conjunto para barrar a Operação Lava Jato e assim cumprir o objetivo traçado pelo senador Romero Jucá, no áudio vazado no passado: "estancar a sangria".

Matéria no site da Carta Capital, mostra como fevereiro tem sido mês crucial nessa agenda intensa de ações de Michel Temer a aliados. A revista montou um Power Point com os 14 atos que revelam a movimentação para "estancar a sangria" provocadas pelas investigações.

Entre as ações estão as eleições de Eunício Oliveira (PMDB) para a presidência do Senado e Rodrigo Maia (DEM) no comando da Câmara dos Deputados. Os dois são citados nas investigações da Lava Jato.

Carta Capital também cita a nomeação de Moreira Franco para o ministério e a indicação do ministro Alexandre de Moraes para a vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). O texto ainda mostra a atuação da imprensa.

"Os editoriais do jornal O Estado de S.Paulo mostram que os donos do veículos são atualmente os mais alinhados à administração de Michel Temer. Na mesma semana, a publicação fez dois artigos atacando o procurador do MPF Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato. Nos textos, o jornal acusou Dallagnol de defender um "direito autoritário, próprio das tiranias" e a "relativização do direito de defesa", preocupações que não manifestava quando Dilma estava no poder", diz a matéria.

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247