Presidente da Biblioteca Nacional associa Caetano Veloso ao analfabetismo

"Livros didáticos estão cheios de músicas de Caetano Veloso, Gabriel O Pensador, Legião Urbana. Depois não sabem por que está todo mundo analfabeto", escreveu Rafael Nogueira, novo presidente da Biblioteca Nacional, em 2017

Rafael Nogueira
Rafael Nogueira (Foto: Reprodução/YouTube)

247 - O novo presidente da Biblioteca Nacional, Rafael Nogueira, escolhido nesta segunda-feira (2) pelo governo de Jair Bolsonaro e seguidor de Olavo de Carvalho, parece não ser muito simpático ao universo da cultura e literatura.

Em 2017, por exemplo, Rafael associou Caetano Veloso, Legião Urbana e Gabriel O Pensador ao analfabetismo. "Livros didáticos estão cheios de músicas de Caetano Veloso, Gabriel O Pensador, Legião Urbana. Depois não sabem por que está todo mundo analfabeto".

Em pesquisa em sua conta do Twitter, raros são comentários sobre livros. Em 2011, Rafael Nogueira postou: "cadê nossa literatura? Quem é o herdeiro atual de Machado de Assis? Cadê a nossa filosofia? Espero que o legado de Olavo de Carvalho resolva..."

Em 2010, outro comentário avesso ao mundo cultural foi jogado nas redes por Nogueira. " A justificação dos crimes alheios pela pobreza, constante em nossa literatura e cinema, é uma mentira insultuosa aos pobres honrados".

Rafael Nogueira está agora à frente da Biblioteca Nacional, com um acervo de obras da época da chegada da família real ao Brasil, em 1808, até livros mais atuais.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247