Presidente do Banco do Brasil diz que vida não tem 'valor infinito'

Alegando que "depressão econômica também mata muita gente, principalmente os mais pobres", o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, se alinhou às críticas de Bolsonaro ao isolamento social como proteção ao coronavírus e menosprezou o valor da vida

Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil
Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil (Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, adotou a mesma linha crítica de Jair Bolsonaro às medidas de prevenção à infecção por coronavírus.

Em mensagem em um grupo de WhatsApp, Novaes disse que "é bobagem" considerar que a vida tem "valor infinito". Ele opinou em um grupo de Watshapp que o vírus tem que ser balanceado com a atividade econômica, informa a coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Novaes, em linha com Bolsonaro, diz que o  confinamento prolongado "causará depressão econômica com efeitos piores que os da epidemia" e que "a depressão econômica também mata muita gente, principalmente entre os mais pobres".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247