Presidente do Senado quer burlar decisão do Supremo contra orçamento secreto

Com o discurso de que no futuro o Congresso vai garantir "transparência" no uso de verbas públicas, Rodrigo Pacheco está em campanha para defender as emendas cujo pagamento foi suspenso pelo Supremo

www.brasil247.com -
(Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)


247 - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta quarta-feira (17) ao presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, que o Congresso irá elaborar uma resolução para ampliar a transparência na execução das chamadas emendas de relator, o orçamento secreto.

Pacheco defendeu a liberação de emendas cujo pagamento está suspenso por decisão do STF e afirmou que discorda de declarações de parlamentares de oposição de que essas verbas eram usadas pelo governo para beneficiar apenas deputados e senadores ligados à base do Executivo, informa a Folha de S.Paulo.

A decisão do Supremo de suspender essas emendas foi tomada inicialmente pela ministra Rosa Weber e, depois, ratificada por 8 a 2 pelo plenário da corte.

Em reunião com o presidente do STF nesta quarta-feira (17), o presidente do Senado falou sobre a proposta para ampliar a transparência das emendas após o encontro na sede do STF.

Pacheco revelou a intenção de fazer um ato conjunto da Câmara e do Senado sobre a destinação de recursos de 2020 e 2021.  

Até a decisão do STF, esses recursos eram manejados por governistas com apoio do Palácio do Planalto às vésperas de votações importantes para o Executivo.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247