Preso, Alexandre Romano denuncia outro ex-tesoureiro do PT

Alvo naLava Jato por suspeita de receber R$ 40 milhões em propinas, ex-vereador do PT Alexandre Romano declarou à Polícia Federal que o ex-tesoureiro do partido Paulo Ferreira também foi beneficiário de repasses; ele é casado com Teresa Campello, ministra do Desenvolvimento Social do governo Dilma Rousseff; Romano citou ainda ex-ministro de Lula Luiz Gushiken e João Vaccari

Alvo naLava Jato por suspeita de receber R$ 40 milhões em propinas, ex-vereador do PT Alexandre Romano declarou à Polícia Federal que o ex-tesoureiro do partido Paulo Ferreira também foi beneficiário de repasses; ele é casado com Teresa Campello, ministra do Desenvolvimento Social do governo Dilma Rousseff; Romano citou ainda ex-ministro de Lula Luiz Gushiken e João Vaccari
Alvo naLava Jato por suspeita de receber R$ 40 milhões em propinas, ex-vereador do PT Alexandre Romano declarou à Polícia Federal que o ex-tesoureiro do partido Paulo Ferreira também foi beneficiário de repasses; ele é casado com Teresa Campello, ministra do Desenvolvimento Social do governo Dilma Rousseff; Romano citou ainda ex-ministro de Lula Luiz Gushiken e João Vaccari (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-vereador do PT Alexandre Romano, conhecido como Chambinho, preso na Lava Jato por suspeita de receber R$ 40 milhões em propinas, declarou à Polícia Federal que o ex-tesoureiro do partido Paulo Ferreira também foi beneficiário de repasses.

Alexandre Romano afirmou à PF que intermediou um contrato entre a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), o Sindicato das Entidades Abertas de Previdência Privada (SINAPP) e a Consist Software, por meio da qual teriam transitado valores de propina para o ex-vereador. Ele é casado com Teresa Campello, ministra do Desenvolvimento Social do governo Dilma Rousseff.

No depoimento, ele afirmou também que, em 2010, o ex-secretário de Comunicação do governo Lula Luiz Gushiken – morto em 2013 – sugeriu a ele que procurasse o então tesoureiro do PT João Vaccari Neto para repassar parte de seus honorários como intermediador de contrato relativo a empréstimos consignados no âmbito do Ministério do Planejamento.

Leia aqui reportagem de Fausto Macedo sobre ao assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email