Prestes a ser investigado, Aécio ganha Furnaleco

Depois de ser citado em mais uma delação, a do senador Delcídio Amaral, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deverá ser finalmente investigado; o caso ainda será analisado pelos procuradores do grupo de trabalho da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República, mas investigadores avaliam preliminarmente que deve ser pedida abertura de inquérito contra o tucano; Delcídio afirmou, na delação, que o tucano recebeu propina de Furnas e atrasou envio de dados para a CPI dos Correios, para fazer uma "maquiagem" nas informações do Banco Rural; segundo Delcídio, o deputado Carlos Sampaio sabia da fraude feita em dados do banco a pedido de Aécio; nas redes sociais, começa a se disseminar a imagem do 'Furnaleco', com Aécio vestido de presidiário

www.brasil247.com - Depois de ser citado em mais uma delação, a do senador Delcídio Amaral, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deverá ser finalmente investigado; o caso ainda será analisado pelos procuradores do grupo de trabalho da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República, mas investigadores avaliam preliminarmente que deve ser pedida abertura de inquérito contra o tucano; Delcídio afirmou, na delação, que o tucano recebeu propina de Furnas e atrasou envio de dados para a CPI dos Correios, para fazer uma "maquiagem" nas informações do Banco Rural; segundo Delcídio, o deputado Carlos Sampaio sabia da fraude feita em dados do banco a pedido de Aécio; nas redes sociais, começa a se disseminar a imagem do 'Furnaleco', com Aécio vestido de presidiário
Depois de ser citado em mais uma delação, a do senador Delcídio Amaral, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deverá ser finalmente investigado; o caso ainda será analisado pelos procuradores do grupo de trabalho da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República, mas investigadores avaliam preliminarmente que deve ser pedida abertura de inquérito contra o tucano; Delcídio afirmou, na delação, que o tucano recebeu propina de Furnas e atrasou envio de dados para a CPI dos Correios, para fazer uma "maquiagem" nas informações do Banco Rural; segundo Delcídio, o deputado Carlos Sampaio sabia da fraude feita em dados do banco a pedido de Aécio; nas redes sociais, começa a se disseminar a imagem do 'Furnaleco', com Aécio vestido de presidiário (Foto: Valter Lima)


247 - O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve passar a ser investigado formalmente na Operação Lava Jato depois de ter sido acusado de receber propina na delação premiada do senador Delcídio do Amaral. O caso ainda será analisado pelos procuradores do grupo de trabalho da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República, mas investigadores avaliam preliminarmente que deve ser pedida abertura de inquérito contra o tucano.

Delcídio afirmou, na delação, que o presidente do PSDB recebeu propina de Furnas. Ainda sobre o tucano, Delcídio relatou um caso na CPI dos Correios, que investigou o mensalão, no qual Aécio teria atrasado o envio de dados do Banco Rural para fazer uma "maquiagem" nas informações. "A maquiagem consistiria em apagar dados bancários comprometedores que envolviam Aécio Neves, Clésio Andrade, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Marcos Valério e companhia", afirmou.

Segundo Delcídio, Carlos Sampaio sabia da fraude feita em dados do Banco Rural a pedido de Aécio Neves. Para os investigadores, o caso envolvendo a CPI é o mais grave envolvendo Aécio e deve ser o principal alvo do grupo de trabalho da Lava Jato na PGR.

Nas redes sociais, a delação sobre Aécio gerou grande repercussão e ele, inclusive, já se tornou alvo de um "Furnaleco", vestido de presidiário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aécio nega

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aécio publicou nota em que chama de "falsas" e "mentirosas" as citações que Delcídio fez a ele em sua delação premiada. Ele diz que o ex-petista lança mão de histórias que "não se sustentam na realidade e se referem apenas a 'ouvir falar ' de terceiros".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Delcídio repete o que vem sendo amplamente disseminado há anos pelo PT que tenta criar falsas acusações envolvendo nomes da oposição. É curioso observar a contradição na fala do delator já que ao mesmo tempo em que ele diz que a lista de Furnas é falsa, ele afirma que houve recursos destinados a políticos", afirmou.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email