Primeira etapa de ajuste de Levy passa na Câmara

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta (6), por 252 votos a 227, a Medida Provisória 665/14, que muda as regras de concessão do seguro-desemprego; a medida integra o ajuste fiscal do governo, liderado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy; o texto aprovado é o relatório do senador Paulo Rocha (PT-PA), que diminui os períodos exigidos para a concessão do seguro-desemprego na primeira e segunda solicitações em relação ao texto original da MP; a MP também muda regras do abono salarial e do seguro-defeso para o pescador profissional; mais cedo, sindicalistas ocuparam as galerias em protesto à votação e foram retirados; aprovação pode ser considerada vitória do governo Dilma na Câmara

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta (6), por 252 votos a 227, a Medida Provisória 665/14, que muda as regras de concessão do seguro-desemprego; a medida integra o ajuste fiscal do governo, liderado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy; o texto aprovado é o relatório do senador Paulo Rocha (PT-PA), que diminui os períodos exigidos para a concessão do seguro-desemprego na primeira e segunda solicitações em relação ao texto original da MP; a MP também muda regras do abono salarial e do seguro-defeso para o pescador profissional; mais cedo, sindicalistas ocuparam as galerias em protesto à votação e foram retirados; aprovação pode ser considerada vitória do governo Dilma na Câmara
O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite desta quarta (6), por 252 votos a 227, a Medida Provisória 665/14, que muda as regras de concessão do seguro-desemprego; a medida integra o ajuste fiscal do governo, liderado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy; o texto aprovado é o relatório do senador Paulo Rocha (PT-PA), que diminui os períodos exigidos para a concessão do seguro-desemprego na primeira e segunda solicitações em relação ao texto original da MP; a MP também muda regras do abono salarial e do seguro-defeso para o pescador profissional; mais cedo, sindicalistas ocuparam as galerias em protesto à votação e foram retirados; aprovação pode ser considerada vitória do governo Dilma na Câmara (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 252 votos a 227, a Medida Provisória 665/14, que muda as regras de concessão do seguro-desemprego. A medida integra o ajuste fiscal do governo, liderado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. O texto aprovado é o relatório do senador Paulo Rocha (PT-PA), que diminui os períodos exigidos para a concessão do seguro-desemprego na primeira e segunda solicitações em relação ao texto original da MP.

A MP também muda regras do abono salarial e do seguro-defeso para o pescador profissional.

Mais cedo, o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), propôs e o plenário da Casa aceitou, um acordo para votar hoje (6) o texto principal da Medida Provisória (MP) 665, que muda as regras de acesso ao seguro-desemprego, ao abono salarial e ao seguro-defeso e dois destaques, sem que haja obstrução de nenhum partido.

Pelo acordo, hoje serão feitas três votações nominais: a do texto base da MP e a dos dois destaques. Todos os líderes concordaram com a proposta e prometeram não obstruir as votações.

Ainda pelo acordo, ficou firmado que as outras votações de emendas e destaques que visam a modificar o texto da MP serão feitas amanhã, em sessão marcada para ter inicio ao meio dia no plenário da Câmara. A sessão deverá ser encerrada às 19h. Eduardo Cunha informou que, pelo acordo, cada deputado votará de acordo com sua posição: a favor ou contra a MP, mas sem obstruir os trabalhos da Casa.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247