Procon: "Sites fora do ar não vão prejudicar consumidor"

Por causa de queixas, Submarino, Shoptime e Americanas podem ser desativados por 72h; Procon avalia que prejuzos no Natal sero grandes se esses sites estiverem ativos

Procon: "Sites fora do ar não vão prejudicar consumidor"
Procon: "Sites fora do ar não vão prejudicar consumidor" (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Cassius Oliveira_247 - Com as festas de final de ano, os consumidores buscam os sites de compras para presentear parentes e amigos como alternativa aos shoppings lotados. A proporção de brasileiros que utilizam o comércio eletrônico cresceu de 13%, em 2007, para 20%, em 2011. Mas é justamente esse meio de negócios digitais que pode causar dor de cabeça -  alerta o Procon. A um mês do Natal, os principais sites brasileiros de e-commerce correm o risco de sair do ar por 72 horas no estado de São Paulo.

Nesta quinta-feira, o Procon-SP divulgou uma nota criticando as páginas das Americanas, do Submarino e do Shoptime por causa do alto número de reclamações dos consumidores. O órgão informa que esses sites não têm cumprido o prazo estipulado para entregar os produtos comprados e, em alguns casos, nem sequer entregam. Saiu no Diário Oficial de SP a decisão do Procon de tirar do ar esses três sites e multar em mais de R$ 1,7 milhão a B2W Companhia Global do Varejo, empresa responsável por eles.

O Procon argumenta que o consumidor poderá sofrer mais prejuizos com os sites abrindo normalmente do que com eles inativos. "Com a proximidade do Natal, os produtos adquiridos pelo consumidor podem não chegar a tempo. Ou pode ser que eles não venham a ser entregues. Com os sites fora do ar, o consumidor não teria esse prejuízo", avaliou a diretora de programas sociais do Procon-SP, Andrea Sanches, em entrevista ao Brasil 247.

Devido à frequência das queixas, o orgão de defesa do consumidor já havia dado algumas advertências à B2W. “Já tínhamos aberto processos administrativos contra essa empresa, mas como não houve nenhuma movimentação para que os problemas fossem resolvidos e com um grande aumento de reclamações, essa decisão foi tomada. A B2W já foi punida com algumas multas pequenas”, explicou Andrea Sanches.

Agora, para recorrer da decisão, a B2W deve apresentar ao Procon uma comprovação de que a empresa já resolveu os problemas denunciados pelos consumidores. O Procon lembra que o consumidor prejudicado poderá primeiramente reclamar com o site. Caso o problema não seja solucionado, o cliente deve procurar um posto do órgão e, se houver danos para o cliente, ele poderá recorer ao Juizado de Pequenas Causas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email