PSDB firma posição contra o impeachment e a favor da continuidade de Bolsonaro

Decisão foi anunciada pelo presidente sigla, Bruno Araújo, que deu o voto decisivo no golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff

(Foto: Pedro França/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O PSDB, partido que liderou o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff, processo que resultou na ascensão de um projeto neofascista no Brasil, não irá apoiar o impeachment de Jair Bolsonaro, que tem incentivado invasões de hospitais no Brasil. A decisão foi anunciada pelo presidente da legenda, Bruno Araújo (PSDB-PE), que deu o voto decisivo na sessão do golpe contra Dilma, na Câmara dos Deputados.

"O impeachment é potencializar uma crise dentro da mais grave crise sanitária e econômica talvez da nossa história", disse ele, em entrevista à Folha de S. Paulo. "O caminho do PSDB é a oposição. O PSDB teve a paciência democrática de esperar o tempo e dar as oportunidades a um governo democraticamente eleito se instalar e trabalhar. O PSDB foi colaborativo. A principal reforma desse governo, da Previdência, foi relatada na Câmara e no Senado pelo PSDB", diz ele, sinalizando apoio à agenda econômica do bolsonarismo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email