Raimundo Bonfim: Diretas Já e Constituinte exclusiva

"A Nação está perplexa e à deriva, pois o mandatário máximo que assumiu a presidência da República após, na condição de vice-presidente, ter tramado e conspirado contra sua companheira de chapa, agora está sendo investigado por crime de corrupção, formação de quadrilha e obstrução à Justiça", diz Raimundo Bonfim, coordenador da Central de Movimentos Populares; "A nossa tarefa vai além de garantir nas ruas a eleição direta para presidente, precisamos no ato contínuo eleger alguém do nosso campo político e mudar a atual correlação de forças para que ao assumirmos o governo central, façamos dessa vez, as Reformas dos meios de comunicação, tributária (com taxação das grandes fortunas), agrária e urbana"

Roberto Bonfim
Roberto Bonfim (Foto: Leonardo Attuch)

Por Raimundo Bonfim

Os fatos revelados à Nação que implodiram o governo Temer, na última quarta-feira (17/5) pelo Jornal o Globo, que apoiou o golpe contra a ex-presidenta Dilma e está em plena campanha em favor de todas as reformas que prejudicam a classe trabalhadora, é sinal que a crise chegou num ponto máximo.

A Nação está plepexa e à deriva, pois o mandatário máximo que assumiu a presidência da República após, na condição de vice-presidente, ter tramado e conspirado contra sua companheira de chapa, agora está sendo investigado por crime de corrupção, formação de quadrilha e obstrução à Justiça.

Não podemos aceitar sermos comandados por um presidente investigado.

Não é crível imaginar que um povo aceite ser conduzido por um presidente que é informado por um delinqüente, de que está pagando milhões para manter o silêncio do presidiário Eduardo Cunha e ainda, peça "mantenha isso, viu".

E mais, - achou "otimo" ao ficar sabendo que um procurador da República estaria colaborando com o esquema criminoso.

A crise é da maior gravidade, os fatos tornados públicos atingem em cheio até mesmo o Poder Judiciário e Ministério Público.

Está preso o procurador da República Ângelo Goulart, amigo do Juiz Sérgio Mouro, admirado e considerado um herói, por uma expressiva parcela da sociedade brasileira , ao ter se tornado o perseguidor- mor, dos governos Lula/Dilma do PT, das esquerdas e dos movimentos polulares e sociais.

Tem mais. A quadrilha que tomou de assalto o governo Dilma tem elos no STF (Supremo Tribunal Federal), a mais alta corte da Justiça de nosso país. Note que foram descobertos telefonemas entre o afastado senador Aécio Neves, que esbravejou na tribuna do Senado, se dizendo indignado com a corrupção, quando da aprovação do golpe que afastou a presidenta Dilma.

Tambem estão envolvidos no coluio para obter o silêncio de Eduardo Cunha o Ministro do STF Alexande de Moraes, ex-Ministro da Justiça indicado pelo golpista e agora investigado Michel Temer, e Gilmar Mendes, aquele que vive no Palácio do Planalto, hora fazendo reunião, noutra jantando aos domingos à noite com o presidente de República.

Mesmo diante de tudo isso, e muito mais ainda, querem como de costume na história do Brasil, encontrar uma saída para a crise por cima, sem a participação do povo, como sempre fazeram quando o andar de cima é atingido.

Chega! Basta! Não haverá saída sem o povo.

Não vamos permitir que mais uma vez fiquemos de fora da decisão dos destino de nosso país.

Não permitiremos que o substituto de Michel Temer seja escolhido apenas por 513 deputados e 81 senadores, componentes do mesmo Congresso que deu o golpe na presidenta Dilma, estando uma boa parte de seus membros envolvidos em processo de corrupção.

Para evitar que os donos das organizações Globo, que lideram o consórcio golpista decidam quem será o próximo presidente escolhido por eleição indireta, temos que hoje (21de Maio), tomar as ruas de todo o país, reunir milhões de pessoas num só grito: Fora Temer. Eleições diretas. já e o Fim das Reformas da Previdência e Tabalhista.

O campo de esquerda e democrático popular têm a obrigação de articular e defender uma candidatura que assuma como uma das primeiras medidas de governo, a anulação das medidas adotadas contra o povo, aprovadas sob a égide do governo golpista. É necessário retirar da Câmara dos Deputado e do Senado Federal as propostas nefastas das Reformas da Previdência e Trabalhista, além de tomar outras medidas emergenciais com o objetivo de retomar o crescimento econômico, geração de emprego, investimento na infraestrutura, retomada dos programas sociais e investimentos público.

A nossa tarefa vai além de garantir nas ruas a eleição direta para presidente, precisamos no ato contínuo eleger alguém do nosso campo político e mudar a atual correlação de forças para que ao assumirmos o governo central, façamos dessa vez, as Reformas dos meios de comunicação, tributária (com taxação das grandes fortunas), agrária e urbana. Já para a Reforma Política a Central de Movimentos Populares e outras entidades do movimentos sociais como o MST, Levante Popular da Juventude, Marcha Mundial das Mulheres, Coordenação de Entidades Negras e Consulta Popular, defendemos uma Constituinte Excluvisa para reformar o Estado Brasileiro em seu todo, incluindo o Poder Judiciário, Ministério Público e, entre outras medidas desmilitarizar as polícias e instituir uma verdadeira participação do povo e dos movimentos populares e sociais na tomada de decisões e dos rumos do nosso país. Renúncia. Fora Temer. Diretas, já. Queremos votar.

Raimundo Bonfim, coordenador da CMP (Central de Movimentos Populares) e integrante da coordenação nacional da FBP (Frente Brasil Popular).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247