Rebelião deixa três mortos em Recife

Um interno foi decapitado na unidade da Fundao de Atendimento Socioeducativo (Funase), localizada em Cabo de Santo Agostinho. Presdio foi construdo para abrigar 166 jovens de 17 a 21 anos, mas est superlotado, com 368

Rebelião deixa três mortos em Recife
Rebelião deixa três mortos em Recife (Foto: GUGA MATOS/Agência Estado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Uma rebelião, entre as 17h e 23h de ontem, terminou com três internos mortos, um deles decapitado, e um ferido na unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) localizada no bairro de Pirapama, em Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife (PE). Em maio de 2011, cinco jovens ficaram feridos em outro motim no mesmo local.

O motivo da rebelião, segundo parentes dos internos, seria o descontentamento dos jovens com a atual política da unidade de coibir a prostituição e impedir a entrada de drogas no prédio, que foi construído para abrigar 166 internos, mas está superlotado, com 368, com idades entre 17 e 21 anos. No início do motim, três agentes socioeducativos ficaram retidos no interior da unidade, tomada pelos rebelados, mas foram liberados minutos depois, sem ferimentos.

PMs do Batalhão de Choque cercaram a unidade e invadiram o prédio pelos fundos após estourarem o portão. Na invasão, foram utilizadas bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo. Um dos policiais levou uma pedrada na cabeça. Às 2h45 (de Brasília), o Batalhão de Choque ainda estava no local, segundo a assessoria de imprensa da Funase. No motim, os rebelados atearam fogo em colchões e depredaram boa parte da unidade.

Dois deles inalaram fumaça e foram atendidos lá mesmo, sem a necessidade de serem transferidos para o pronto-socorro. O jovem decapitado tinha 21 anos, teve o corpo queimado, era conhecido como "Geleia" e liderava um grupo pertencente a uma facção criminosa. A assessoria de imprensa da Funase afirma que não se sabe ao certo ainda o que motivou a rebelião.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email