CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Rede ligada a Cachoeira movimentou R$ 36 bilhões

Relator da CPMI no Congresso afirma que as 75 pessoas e empresas citadas no grupo do empresário movimentaram volume impressionate de recursos nos últimos dez anos. Técnicos da Comissão identificaram que 83,01% das transações com cheques realizadas por integrantes do grupo sequer foram identificadas

Rede ligada a Cachoeira movimentou R$ 36 bilhões (Foto: Divulgação)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Goiás 247_ A força e o poderio econômico da rede de negócios montada pelo empresário Carlinhos Cachoira ficam cada vez mais evidentes. São números que ultrapassam a fronteira do razoável, chegando à casa das dezenas de bilhões. É o que mostra reportagem do jornal O Globo.

De acordo com o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista do Cachoeira, Odair Cunha (PT-MG), as 75 pessoas e empresas citadas na rede da quadrilha de Cachoeira receberam créditos, nos últimos dez anos, que somam R$ 36 bilhões. Esse dinheiro não é, necessariamente, fruto de atividade ilícita. Os dados se referem ao material recebido até o dia 16 de setembro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O relator também informou que técnicos da CPI identificaram que 83,01% das transações com cheques realizadas por integrantes do grupo não foram identificadas. Essas contas somam R$ 570 milhões, além de R$ 544 milhões de Transferências Eletrônicas Disponíveis (TEDs), também não identificadas. O relator disse ainda que a CPI não obteve os dados telefônicos de Demóstenes Torres, que não foi monitorado pela Polícia Federal por ter, à época, foro privilegiado.

Ainda no caso Cachoeira, a CPMI enviou na quarta-feira (19) ao Ministério Público Federal em Goiás ofício solicitando o sequestro de bens de 30 pessoas envolvidas com o esquema do contraventor Carlos Augusto Ramos, acusado de comandar um esquema de jogo do bicho e exploração de máquinas caça-níqueis em quatro Estados e no Distrito Federal com a ajuda de agentes públicos. A CPI pede ainda a retenção dos passaportes dos integrantes do grupo de Cachoeira. O objetivo é evitar a venda dos imóveis e a fuga para o exterior.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO