Rede se divide e partido deve liberar bancada para apoio a Lula

Marina Silva pretende apoiar Ciro Gomes, mas muitos, como o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), preferem o ex-presidente

www.brasil247.com - Marina Silva e Randolfe Rodrigues
Marina Silva e Randolfe Rodrigues (Foto: Adriano Machado/Reuters | Waldemir Barreto/Agência Senado)


247 – O partido Rede Sustentabilidade, liderado pela ex-senadora Marina Silva, rachou e deve liberar sua bancada, facilitando o apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  "Após lançar Marina Silva (Rede-AC) como candidata à Presidência da República em 2018 e amargar uma das últimas posições na disputa, a Rede está dividida em relação à eleição deste ano. Sob resistência de Marina, uma ala da sigla defende apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda no primeiro turno e procurou o PT para abrir diálogo. Outra ala, que inclui a própria ex-candidata, discute o voto em Ciro Gomes (PDT)", informa a jornalista Julia Chaib, na Folha de S. Paulo.

"Em meio às discussões, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) chegou a procurar a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), para saber se o partido estaria disposto a abrir diálogo a respeito de aliança na eleição", aponta ainda a repórter. "Hoje, de fato, a Rede está dividida. Boa parte do partido defende apoio a Lula já no primeiro turno. Tem resistência, mas boa parte quer isso. Tem a sugestão de liberar o voto, tanto em Ciro como em Lula", diz o senador.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247