Reforma ameaça aposentadoria de 80% dos que trabalham no campo

"Se não conseguir derrubar esse texto do relator, corre o risco de deixar 80% dos nossos agricultores fora da Previdência Social", declarou o presidente da Contag, Alberto Broch; comissão especial da reforma na Câmara derrubou destaque do deputado Heitor Schuch (PSB-RS) e manteve a proposta de 15 anos de contribuição para os trabalhadores rurais; de acordo com Alberto, o destaque voltará a ser apresentado no plenário da Câmara. A votação está prevista para a semana de 22 de maio; "É um jogo de cartas marcadas. É um placar que não muda nada mas nós vamos insistir muito", disse

"Se não conseguir derrubar esse texto do relator, corre o risco de deixar 80% dos nossos agricultores fora da Previdência Social", declarou o presidente da Contag, Alberto Broch; comissão especial da reforma na Câmara derrubou destaque do deputado Heitor Schuch (PSB-RS) e manteve a proposta de 15 anos de contribuição para os trabalhadores rurais; de acordo com Alberto, o destaque voltará a ser apresentado no plenário da Câmara. A votação está prevista para a semana de 22 de maio; "É um jogo de cartas marcadas. É um placar que não muda nada mas nós vamos insistir muito", disse
"Se não conseguir derrubar esse texto do relator, corre o risco de deixar 80% dos nossos agricultores fora da Previdência Social", declarou o presidente da Contag, Alberto Broch; comissão especial da reforma na Câmara derrubou destaque do deputado Heitor Schuch (PSB-RS) e manteve a proposta de 15 anos de contribuição para os trabalhadores rurais; de acordo com Alberto, o destaque voltará a ser apresentado no plenário da Câmara. A votação está prevista para a semana de 22 de maio; "É um jogo de cartas marcadas. É um placar que não muda nada mas nós vamos insistir muito", disse (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Railídia Carvalho, Portal Vermelho - "Se não conseguir derrubar esse texto do relator, corre o risco de deixar 80% dos nossos agricultores fora da Previdência Social", declarou o presidente da Confederação Nacional de Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag), Alberto Broch. O dirigente acompanha na Câmara dos Deputados os destaques ao texto da reforma da Previdência que foram votados nessa terça-feira (9).

A comissão especial da reforma na Câmara derrubou destaque do deputado Heitor Schuch (PSB-RS) e manteve a proposta de 15 anos de contribuição para os trabalhadores rurais. O destaque mantinha as regras atuais de contribuição pela produção.

De acordo com Alberto, o destaque voltará a ser apresentado no plenário da Câmara. A votação está prevista para a semana de 22 de maio. "É um jogo de cartas marcadas. É um placar que não muda nada mas nós vamos insistir muito", disse o dirigente da Contag.

Aposentadoria rural

As regras atuais da Previdência estabelecem que os trabalhadores rurais podem se aposentar aos 60 anos (homens) e 55 anos (mulheres). O regime entende que o trabalhador não tem salário mensal porque depende da produção. Quando se aposenta, o trabalhador rural recebe um salário mínimo.

"A proposta do governo era que todo mundo se aposentasse aos 65 anos, agora baixaram um pouco mas eles nos pegam naquilo que é mais grave que é a forma de contribuição. O agricultor não tem salário por isso nós defendemos a contribuição pela produção. Mesmo que o percentual da contribuição seja pequeno, se o trabalhador não tem salário como vai fazer para pagar?", questionou Alberto.

De acordo com ele, a Contag deverá engrossar as manifestações das centrais no dia 24 de maio, quando a reforma da Previdência poderá ir à votação no plenário da Câmara. Alberto informou que na próxima terça-feira (16) será reunido o fórum das 27 federações estaduais de trabalhadores rurais para decidir a forma de participação nos protestos contra a reforma da Previdência em Brasília.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247