Regina Duarte canta música da ditadura e minimiza crimes do período: ‘sempre houve morte e tortura’

Em entrevista à CNN, a Secretária de Cultura, Regina Duarte, disse que “sempre houve tortura” e “na humanidade não para de morrer” ao ser questionada sobre a ditadura militar

Secretária de Cultura, Regina Duarte
Secretária de Cultura, Regina Duarte (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A secretária de Cultura e ex-atriz da Globo, Regina Duarte, minimizou as mortes e as torturas da ditadura militar em entrevista à CNN, nesta quinta-feira, 7. Ela disse que “[Jair] Bolsonaro é a melhor opção para o País” e não deu importância ao apoio do presidente ao regime militar.

Perguntada sobre as mortes e as torturas da época, ela respondeu que “sempre houve tortura” e “na humanidade não se para de morrer”. Ela também cantou música da época, fazendo saudosismo aos militares, numa apologia ao período. "Pra frente Brasil, salve a seleção. Como era bom essa época", afirmou.

A secretária, além disso, também falou sobre a omissão de sua Secretaria diante das mortes de Aldir Blanc, Moraes Moreira e Flávio Migliaccio. Duarte disse que não emitiu comunicado para “não virar obituário”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247