Reinaldo compara mulher de Bolsonaro ao talibã

O jornalista Reinaldo Azevedo classifica como "vergonhosa" a postura da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ao exigir a retirada de obras sacras históricas do Palácio da Alvorada; "Trata-se de um despropósito, de um despautério, de uma agressão à pluralidade, às artes, à cultura, à história e à tradição brasileiras. Qual é a diferença entre a decisão de Michelle e a dos terroristas dos Talibã, que mandaram dinamitar os dois Budas de Bamiyan, no Afeganistão?", questiona o jornalista

Reinaldo compara mulher de Bolsonaro ao talibã
Reinaldo compara mulher de Bolsonaro ao talibã

247 - Em artigo, o jornalista Reinaldo Azevedo critica a postura da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro. "É uma vergonha! Se não houver um recuo, obras sacras serão retiradas do Palácio da Alvorada, futura morada do casal Bolsonaro, porque Michelle, primeira-dama a partir de 1º de janeiro, não as quer lá. Evangélica da Igreja Batista, ela se indispôs com a temática religiosa das obras de arte, de inspiração católica". 

Ele segue sua critica, comparando a atitude de Michelle as práticas de grupos islâmicos radicais: "A notável senhora deve considerar que tais manifestações são incompatíveis com a sua crença. Trata-se de um despropósito, de um despautério, de uma agressão à pluralidade, às artes, à cultura, à história e à tradição brasileiras. Qual é a diferença entre a decisão de Michelle e a dos terroristas dos Talibã, que mandaram dinamitar os dois Budas de Bamiyan, no Afeganistão? Em essência, nenhuma", aponta. 

"As duas posturas se caracterizam por intolerância religiosa e acreditam que seu Deus, ou sua forma de entendê-lo, deve ter um poder normativo que apaga até a história do país em que atuam".

Para o jornalista, "quem decide morar num prédio histórico, submetido aos rigores da legislação, não pode ir mudando o que lhe dá na telha. Trata-se de uma forma de privatização do espaço público"

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247