Reitor da USP condena “atos criminosos” no campus

Em entrevista, o polmico Grandino Rodas critica alunos que fumam maconha na universidade e defende a presena da polcia

Reitor da USP condena “atos criminosos” no campus
Reitor da USP condena “atos criminosos” no campus (Foto: DIVULGAÇÃO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – De todos os reitores que passaram pela USP nas últimas décadas, nenhum tem sido tão criticado por alunos como João Grandino Rodas, a quem acusam de ser ditatorial. Neste domingo, Rodas falou ao Globo e defendeu a presença da polícia no campus. Eis alguns pontos abordados por ele na entrevista:

Presença da PM

O convênio com a PM foi resposta ao clamor da própria comunidade da USP, em razão do assassinato de um aluno, em maio de 2011. O convênio com a polícia foi aprovado pelo Conselho Gestor do Campus, composto por mais de quarenta pessoas, incluindo representantes dos funcionários e dos alunos. Houve negociação com a PM justamente para permitir que haja na USP uma polícia comunitária, que conheça e respeite as particularidades e que interaja com a Guarda Universitária que sempre existiu no campus, mas não possui nem pode exercer poder de polícia, por disposição constitucional.

Consumo de drogas

O consumo de drogas é ilegal, em todo território nacional. A USP tem desenvolvido programas específicos de assistência e prevenção de álcool, tabaco e outras drogas.

Expulsão de alunos

Tanto os processos administrativos findos quanto os em curso dizem respeito a ilícitos como invasão, vandalismo, depredação de bem público, supressão de documentos, impedimento do direito de ir e vir de professores, alunos e funcionários, entre outros. Essas ações são consideradas criminosas pelo Código Penal Brasileiro. O processo administrativo disciplinar utilizado na USP é idêntico ao usado por todos os órgãos públicos paulistas e brasileiros.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email