Rejeitado por 70%, Governo teme novo junho de 2013

Em menos de cinco dias, o governo perdeu o controle da agenda econômica, voltou a ser refém do Legislativo e passou a lidar com o temor de ver sua elevada rejeição se materializar em protestos por causa do desabastecimento

Presidente Michel Temer durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social em Brasília 21/03/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social em Brasília 21/03/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Gustavo Conde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em menos de cinco dias, o governo perdeu o controle da agenda econômica, voltou a ser refém do Legislativo e passou a lidar com o temor de ver sua elevada rejeição se materializar em protestos por causa do desabastecimento.

Temerosa com o fracasso das negociações com o movimento grevista, a equipe presidencial avaliava que se o episódio não for controlado, ele agrega o potencial para se tornar um novo junho de 2013, quando a população protestou nas ruas contra o preço do transporte público.

O cenário adverso contaminou até mesmo a pré-campanha do presidenciável do MDB, Henrique Meirelles, que passou a ser cobrado pela alta do preço dos combustíveis e, se depender de adversários, terá de responder sobre o assunto durante a campanha.

Leia mais aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247