Retirada de Coaf é apenas uma 'decisão não muito favorável', diz Moro

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, minimizou a derrota na comissão mista do Congresso de retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de sua alçada foi apenas uma decisão não "favorável"

Retirada de Coaf é apenas uma 'decisão não muito favorável', diz Moro
Retirada de Coaf é apenas uma 'decisão não muito favorável', diz Moro

247 - Depois de ameaçar pedir demissão caso tivesse seus poderes esvaziados, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, minimizou a derrota na comissão mista do Congresso de retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de sua alçada foi apenas uma decisão não "favorável", mas não atrapalhará a atuação do órgão.

A comissão especial mista da Reforma Administrativa impôs uma derrota ao Planalto e a Moro, ao aprovar, nesta quinta-feira (9), a transferência das atividades do Conselho do Ministério da Justiça para o Ministério da Economia.

Segundo Moro, "a política do governo, sempre fortalecer o Coaf" por considerar que é um órgão "estratégico". "Hoje, de fato houve uma decisão não muito favorável a essa proposta do governo, mas independentemente do que aconteça, podem ter certeza de que a postura do governo vai ser sempre de fortalecimento desse órgão", disse Moro durante cerimônia em Brasília.

"Eu tenho dito que sem a inteligência financeira, nós não conseguimos enfrentar eficazmente a corrupção, crime organizado e o financiamento do terrorismo. Por isso que o Coaf tem que ser valorizado, por isso que o Coaf tem que ter uma estrutura compatível com essa tarefa", concluiu Moro.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247