PF suspeita que Salles tem escritório de fachada para pagamentos indevidos e delegado diz que provas são "claríssimas"

Em operação de busca e apreensão, Polícia Federal obteve indícios de que escritório de advocacia de Ricardo Salles era mera fachada. Para ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas é "claríssima e inédita" a atuação de Salles em favor de madeireiros.

Delegado Alexandre Saraiva e Ricardo Salles
Delegado Alexandre Saraiva e Ricardo Salles (Foto: Reprodução/TV Globo | Lula Marques)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal suspeita que o escritório de advocacia do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é uma empresa de fachada para justificar o possível recebimento de pagamentos indevidos.

Os indícios foram obtidos pela PF durante operação de busca e apreensão nos dois endereços de São Paulo registrados como vinculados ao Carvalho de Aquino e Salles Advocacia, no último dia 19. 

Um dos locais era a residência da mãe do ministro, Diva Carvalho de Aquino, que também é advogada e sócia do filho no negócio. Em outro local, nenhuma sala comercial vinculada ao ministro foi encontrada pelos policiais. Pessoas próximas a Salles afirmaram que o escritório vinha funcionando na residência da mãe e que apenas ela seguia atuando no negócio, informa a jornalista Bela Megale em sua coluna no Globo.

PUBLICIDADE

O ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Alexandre Saraiva, afirmou nesta segunda-feira (7) no programa Roda Viva que é "claríssima e inédita" a atuação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em favor de madeireiros.

O delegado foi retirado da superintendência pelo governo após enviar, em meados de abril, uma notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra Salles e o senador Telmário Mota (Pros).

PUBLICIDADE

"Eu posso dizer com tranquilidade porque foi gerado um vídeo por ele mesmo em que ele confessava o que estava fazendo. Então, a atuação dele é claríssima e inédita. Isso aí, fora de dúvida", disse o delegado.

Alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por atrapalhar operações de fiscalização ambiental, Ricardo Salles comprou uma casa em uma das regiões mais arborizadas e nobres de São Paulo (SP), segundo o jornalista Lauro Jardim.

Trata-se de um imóvel de dois andares no Jardim América, Zona Oeste da capital paulista, próximo ao Club Athletico Paulistano, frequentado pela elite da cidade. Na região, uma casa como a comprada por Salles custa em torno de R$15 milhões.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email