Roberto Amaral exorta Lula a liderar anti-golpismo

Ex-presidente nacional do PSB e ex-ministro do governo Lula, Roberto Amaral disse nesta sexta-feira, 13, que o ex-presidente deve liderar as forças de esquerda contra a ruptura da ordem democrática e pela defesa da Petrobras; "Lula não é apenas um ex-presidente da República, é o nosso maior líder, o responsável dos governos de 2002 para cá. Ele tem de liderar um grande movimento que incorpore o sentimento de fraternidade, do entendimento e do diálogo", afirmou; para Amaral, a presidente Dilma Rousseff deve intensificar suas viagens, "dialogando com o povo, que lhe deu 70 milhões de votos"

Ex-presidente nacional do PSB e ex-ministro do governo Lula, Roberto Amaral disse nesta sexta-feira, 13, que o ex-presidente deve liderar as forças de esquerda contra a ruptura da ordem democrática e pela defesa da Petrobras; "Lula não é apenas um ex-presidente da República, é o nosso maior líder, o responsável dos governos de 2002 para cá. Ele tem de liderar um grande movimento que incorpore o sentimento de fraternidade, do entendimento e do diálogo", afirmou; para Amaral, a presidente Dilma Rousseff deve intensificar suas viagens, "dialogando com o povo, que lhe deu 70 milhões de votos"
Ex-presidente nacional do PSB e ex-ministro do governo Lula, Roberto Amaral disse nesta sexta-feira, 13, que o ex-presidente deve liderar as forças de esquerda contra a ruptura da ordem democrática e pela defesa da Petrobras; "Lula não é apenas um ex-presidente da República, é o nosso maior líder, o responsável dos governos de 2002 para cá. Ele tem de liderar um grande movimento que incorpore o sentimento de fraternidade, do entendimento e do diálogo", afirmou; para Amaral, a presidente Dilma Rousseff deve intensificar suas viagens, "dialogando com o povo, que lhe deu 70 milhões de votos" (Foto: Aquiles Lins)

247 - teste O ex-ministro da Ciência e Tecnologia Roberto Amaral exortou o ex-presidente Lula da Silva a assumir a liderança dos movimentos que defendem o fortalecimento da Petrobras e a defesa dos interesses nacionais, bem como liderar a reconstrução do discurso das forças progressistas.

Amaral integrou o primeiro governo Lula e foi forçado a sair da presidência nacional do PSB pelos defensores dos ex-candidatos Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), durante a campanha eleitoral do ano passado.

Em entrevista ao blog Café na Política, Roberto Amaral criticou a "imobilidade" das esquerdas brasileiras diante das arremetidas midiáticas e do assalto à imagem da Petrobrás. Para ele, neste momento "Lula tem uma grande responsabilidade, mais até do que ele pensa".

"Lula não é apenas um ex-presidente da República, é o nosso maior líder, é o líder do PT, é o responsável dos governos de 2002 para cá". Por isso, entende que ele tem de liderar um grande movimento que incorpore o sentimento de fraternidade, do entendimento e do diálogo", nesta fase em que "as forças reacionárias e golpistas" se aprestam para fazer retornar o passado neoliberal e antipovo.

Amaral assinala igualmente que o papel da presidenta Dilma Rousseff é de também se expor, intensificando suas viagens e dialogando com o povo, que lhe deu 70 milhões de votos.

Confira abaixo a entrevista de Roberto Amaral. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247