Rodrigo Maia quer proibir que militar da ativa assuma cargo civil

O presidente da Câmara defendeu uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), para impedir que militares da ativa assumam cargos civis no governo. Ele defendeu que a medida seja discutida no futuro para "não parecer ser contra ministro A ou ministro B'"

Rodrigo Maia
Rodrigo Maia (Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputado)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (23) que o Congresso deveria discutir uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para evitar que militares da ativa atuem em funções gratificadas no Executivo​.

A ideia é fazer com que os militares passem automaticamente para a reserva se quiserem ocupar cargos.

"Acho que essa questão de militares da ativa estarem no Poder Executivo em funções gratificadas, isso a gente vai ter que organizar melhor no futuro. Quem quiser vir no futuro para o governo das Forças Armadas vem. Mas vai precisar, sem dúvida nenhuma, automaticamente caminhar para a reserva."

PUBLICIDADE

Maia defendeu essas opiniões em entrevista à revista Época. Para ele, a presença de militares da ativa no governo não é boa para o Brasil ou para as Forças Armadas. A ideia deveria ser discutida daqui a um tempo para não ser vista como um direcionamento a determinado ministro ou assessor.

A presença de militares da ativa no governo federal dobrou no decorrer dos últimos 20 anos. O crescimento é de 33% em um ano e meio de gestão de Jair Bolsonaro. Johe são 2.558, em  18 órgãos, entre eles nos ministérios da Saúde, Economia, Família e Minas e Energia, informa a jornalista Isabella Macedo.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email