Rui Costa Pimenta: Moro está merecendo a cadeia que prega para os outros

O presidente do PCO conversou com a TV 247 sobre a situação do ministro Moro que, depois das revelações do site The Intercept, tem sido alvo de uma enxurrada de críticas; “O problema do Moro não é ética, o que ele fez é um crime gigantesco, ele conspirou contra um país inteiro”, afirmou Rui; assista

 247 - O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, falou à TV 247 sobre a situação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que teve diálogos vazados, enquanto juiz da Lava Jato, com procuradores da operação. Rui Costa Pimenta afirmou que a conduta de Moro caracteriza um “crime gigantesco” e disse que o ministro está merecendo a cadeia que tanto pregou aos outros. Ele também falou da perseguição de Moro ao jornalista Glenn Greenwald, da utilidade do ministro para o imperialismo e comentou o acordo entre a União Européia e Mercosul.

Rui ressaltou que Moro aconselhou a acusação do processo contra o ex-presidente Lula, portanto, deveria ser preso por isso. “O juiz não pode conspirar com uma das partes para prejudicar a outra parte, isso levaria não só a destituição do juiz como o levaria à cadeia. O Moro, que ameaçou tanta gente de cadeia, está merecendo a cadeia que ele prega para os outros”.

O presidente do PCO, e também jornalista, afirmou que é criminosa também a investigação relacionada ao jornalista, Glenn Greenwald, responsável pelos vazamentos do The Intercept. “Isso é mais uma operação criminosa, você tem um adversário político e você começa a ‘investigar’ esse adversário, você começa um processo de criar uma acusação contra quem está te denunciando, é um estado policialesco, uma ação criminosa”.

Ele disse ainda que Moro não pecou pela ética apenas, mas cometeu um crime e conspirou contra o Brasil. “O problema do Moro não é ética, o que ele fez é um crime gigantesco, muito maior do que os supostos crimes das pessoas que ele julgou, ele conspirou contra um país inteiro, contra os direitos da população, ele prendeu o Lula com base em um processo de perseguição política. É mais uma atividade criminosa de uma quadrilha de criminosos”.

Ainda sobre a investigação à Greenwald, Rui disse que a ação é um “erro político”. “A tentativa de perseguir o Glenn Greenwald é um erro político, ele não é do PSDB, não é do PT, ele é um jornalista, ele não é um elemento conspirativo, não tem obrigação nenhuma de fornecer a indicação de quem passou para ele esses documentos. É a atividade mafiosa e criminosa desse pessoal que é mafioso e criminoso mesmo, agora todo mundo se dá conta. A perseguição ao Greenwald é insustentável, até me espanta que façam essa tentativa”.

Rui Costa Pimenta disse discordar do argumento de que Moro não tem mais utilidade para o império, já que com sua derrocada, todo o plano golpista da burguesia seria prejudicado. “A derrubada do Moro coloca tudo abaixo coloca em questão as eleições de 2018. O Moro pode até ter deixado de ser importante, mas aqui não está em questão o destino pessoal do Moro, o que está em questão é o destino da operação golpista que começou lá atrás. Mesmo os piores inimigos do Moro dentro da burguesia não querem que isso venha à tona”.  

O presidente do PCO falou também sobre as manifestações a favor da direita em meio à crise do governo do presidente Jair Bolsonaro e as recentes revelações contra Moro. “Os vazamentos colocaram a direita em uma situação muito defensiva”.

Sobre a esquerda, Rui pontuou que é necessário que o campo progressista se mobilize porque não basta ter o governo fraco já que se trata também de um conjunto da burguesia, e é ela que terá de resolver o problema. Ele também afirmou que o atual governo é uma ameaça. Questionado sobre a possibilidade de um golpe, Rui falou que não descarta esta variável. “Não descartamos essa possibilidade em momento nenhum desde 2016. Quem dá um golpe está disposto a ir até as últimas consequências, essa é a realidade, um golpe não é uma coisa que você faz de maneira totalmente irresponsável. Eles já falaram várias vezes que isso pode acontecer”. 

Rui Costa Pimenta opinou também sobre o STF e os julgamentos de Lula e Moro na Corte. Para o presidente do PCO, os ministros manipula o cenário político e não querem libertar Lula e nem condenar Moro. “Eles são pessoas que manipulam a situação política de uma maneira habilidosa. Eles sabem o que cada um pensa, ninguém chega ali para ser pego de surpresa em uma votação, eles já entram com o placar estabelecido, em geral, podem haver exceções. Eles estão fazendo um jogo complicado, dada a dimensão da crise. Não soltaram o Lula mas também não colocaram uma pedra sobre o assunto, jogaram para frente. A ideia que eu tenho é de que eles não querem votar nem o caso Lula e nem querem condenar o Moro, estão deixando tudo pendurado”. 

Sobre o acordo comercial entre UE e Mercosul, Rui disse que o pacto irá destruir a indústria brasileira. “Esse acordo vai aprofundar um processo que já vem de longa data que é o processo de liquidação da indústria brasileira, é aquele acordo pretensamente igualitário, liquida as tarifas dos dois lados, só que as tarifas brasileiras são defensivas, de um país que não tem a capacidade competitiva de um outro país, é uma defesa da economia nacional. Vai custar aqui em termos de emprego e um monte de coisas, como tem custado para o brasileiro toda a política que vem sendo levada depois do plano real.

 Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247