Segundo Noblat, juiz deve sim ouvir opinião pública

“Por que tapar os ouvidos ao clamor popular?”, indaga o colunista do jornal O Globo

Segundo Noblat, juiz deve sim ouvir opinião pública
Segundo Noblat, juiz deve sim ouvir opinião pública (Foto: Divulgação_STF/Divulgação)

247 – Dias atrás, após votar pela absolvição de João Paulo Cunha, o ministro Ricardo Lewandowski afirmou o óbvio: que um juiz deve se pautar por suas convicções e pela lei, e não pela opinião pública ou pela opinião publicada – afinal, nunca se sabe se a opinião publicada representa, de fato, a opinião pública.

Na sua coluna desta segunda-feira, intitulada “O bom juiz” e publicada no jornal O Globo, Lewandowski é contestado por Ricardo Noblat. “Sem dúvida é mau juiz aquele que se orienta unicamente pela opinião pública. Mas não é bom o outro que parte do princípio que a opinião pública deva ser desprezada. Se num processo há elementos de convicção passíveis de justificar um voto para um lado ou para o outro por que tapar os ouvidos ao clamor popular?”, indaga Noblat.

Talvez porque a convicção de Lewandowski apontasse para um lado – e não para o da convicção do jornalista.

Na mesma coluna, Noblat também volta a criticar o ministro Dias Toffoli, com quem esteve envolvido numa polêmica recente. “Entre nós, a sabatina mais demorada de um ministro durou sete horas. Foi a de Dias Toffoli, empregado toda a vida do PT e dos seus principais líderes. E que agora irá julgar alguns deles. Dias Toffoli foi reprovado duas vezes em concursos para juiz de primeira instância. Falta-lhe notório saber jurídico. Sobrou-lhe padrinhos”, diz o jornalista.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247