Seguranças da Vale são acusados de atacarem acampamento de sem terras

Seguranças da empresa Vale estão sendo acusados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado do Pará (Fetraf-PA) de terem atacado, com balas de borracha, spray de pimenta e bombas de efeito moral, um acampamento de reforma agrária da Fazenda Lagoa, sudeste do Pará

(Foto: Divulgação/Fetraf)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Seguranças da empresa Vale estão sendo acusados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Estado do Pará (Fetraf-PA) de terem atacado, com balas de borracha, spray de pimenta e bombas de efeito moral, um acampamento de reforma agrária da Fazenda Lagoa, em Parauapebas, sudeste do Pará, no início da noite do último domingo (21). A reportagem é do jornal Folha de S.Paulo.

Em nota enviada ao jornal, a empresa afirma que os seguranças foram acionados para evitar a ligação clandestina de energia em áreas de propriedade da empresa onde fica a ocupação e que reagiram a um disparo de arma de fogo que teria partido dos acampados, agindo em legítima defesa.

A Fetraf nega que os acampados estivessem armados e tenham disparado contra os seguranças.

Segundo a reportagem, durante o conflito, 21 pessoas ficaram feridas, entre homens, mulheres, idosos e crianças. Pelo menos 12 delas precisaram ser removidas a uma unidade de saúde, contou a coordenadora geral da Fetraf-PA, Viviane Oliveira, que registrou boletim de ocorrência contra a empresa.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247