Sem doses para todos e caos no plano de vacinação, imunização contra a covid deve entrar em 2022

Sem um plano efetivo de imunização, o Ministério da Saúde, que estava até na semana passada receitando cloroquina no combate à covid, diz que a expectativa é que a população brasileira esteja vacinada apenas no ano que vem

www.brasil247.com -
(Foto: Abr)


247 - Desde o último domingo (17), o Brasil já tem vacinas, em lotes ainda pequenos, contra a covid-19. Agora, a forma de vacinação é o problema a ser enfrentado, revela reportagem do portal UOL. 

O cenário do Brasil no combate à Covid-19 é complexo. Hoje, não existem datas marcadas para as fases do plano de imunização e muito menos doses suficientes dos imunizantes para atender toda a população.

Sem um plano efetivo de imunização, o Ministério da Saúde, que estava até na semana passada receitando cloroquina no combate à covid, diz que a expectativa é que a população brasileira esteja vacinada apenas no ano que vem, no momento que as taxas de contaminação e mortes no Brasil aumentam drasticamente. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas, no comunicado enviado, a palavra mais comum é "depende". Não há certeza sobre quando todos os brasileiros estarão imunizados contra o novo coronavírus. Na melhor das hipóteses, a expectativa é isso ocorra no segundo trimestre de 2022.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A reportagem acrescenta que as incertezas levaram o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski, na última segunda (18), a pedir que o Ministério da Saúde apresente um cronograma para a vacinação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A fase 1, que começou nesta semana, tem, a princípio, previsão de duração de cinco semanas. Mas, com a quantidade de doses disponíveis no Brasil, é difícil saber se esse prazo será cumprido. Ao todo, o país possui 6 milhões de doses de vacina contra covid-19. Mas são necessários 31,1 milhões para cumprir o planejamento.

o "Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19" traz a indicação de três fases, que englobam pouco menos de 50 milhões de pessoas dos grupos de risco; ou seja, cerca de um em cada quatro brasileiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email