Senado não quis desafiar o STF, diz advogado

Advogado do Senado, Alberto Cascais, disse  que a Casa não teve a intenção de desfiar o Supremo Tribunal Federal (STF) ao não cumprir a decisão do ministro Marco Aurélio, que determinou afastamento do presidente da Casa, Renan Calheiros; "Jamais o Senado Federal teve a intenção, por parte da Mesa, especialmente por parte de seu presidente, senador Renan Calheiros, de desafiar esta Corte, jamais. Aliás, tanto o presidente Renan Calheiros, como os membros da Mesa, eles têm o máximo respeito pelo STF, pelas instituições e por todo o Judiciário brasileiro", disse Cascais

Senado, Lava Jato, PGR
Senado, Lava Jato, PGR (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

André Richter, repórter da Agência Brasil - O advogado do Senado, Alberto Cascais, disse hoje (7) que a Casa não teve a intenção de desfiar o Supremo Tribunal Federal (STF) ao não cumprir a decisão do ministro Marco Aurélio, que determinou afastamento do presidente da Casa, Renan Calheiros. O advogado participa da sessão na qual a Corte julga se referenda a decisão individual do ministro.

Durante o julgamento, o representante da Casa reconheceu que há um "atrito institucional" entre os poderes, mas ponderou que o Senado não afastou Renan Calheiros imediatamente do cargo porque teria que cumprir normas internas para conceder prazo de defesa para o senador.

"Jamais o Senado Federal teve a intenção, por parte da Mesa, especialmente por parte de seu presidente, senador Renan Calheiros, de desafiar esta Corte, jamais. Aliás, tanto o presidente Renan Calheiros, como os membros da Mesa, eles têm o máximo respeito pelo STF, pelas instituições e por todo o Judiciário brasileiro", disse o advogado.

A decisão de Marco Aurélio que afastou Renan foi proferida no início da noite de segunda-feira (5), mas o senador continua no cargo porque a Mesa da Casa se recusou a cumprir a decisão. Os senadores decidiram esperar decisão definitiva do plenário do Supremo.

O oficial de Justiça que foi deslocado pelo Supremo para comunicar a decisão relatou que foi à residência oficial do Senado para notificar Renan Calheiros, mas uma assessora disse que o parlamentar não estava em casa, embora o servidor o tenha visto por entre os vidros transparentes da casa. Ao ser informada de que tal informação "não correspondia à verdade", a assessora voltou a insistir que Renan não estava na residência.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247