Senadores conseguem assinaturas necessárias para criar CPI que investigará corrupção no MEC

Senador Randolfe Rodrigues anunciou uma entrevista coletiva para detalhar o pedido e os objetivos da CPI

www.brasil247.com - Randolfe Rodrigues e Fachada do Ministério da Educação (MEC)
Randolfe Rodrigues e Fachada do Ministério da Educação (MEC) (Foto: Pedro França/Agência Senado | Marcos Oliveira/Agência Senado)


247 - O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse ter conseguido a última das 27 assinaturas necessárias para protocolar o pedido de abertura de uma CPI no Senado para investigar a atuação do ex-ministro Milton Ribeiro e as denúncias de corrupção no Ministério da Educação. 

Pelo Twitter, Randolfe disse que obteve a assinatura do senador Giodarno (SP) para requerer a instalação da CPI do MEC. "Vamos passar a limpo o #BolsolaodoMEC e demais escândalos de corrupção desse Governo na Educação", escreveu o senador. 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o site O Antagonista, até a quarta-feira (22) o requerimento contava com a assinatura de 23 parlamentares. A prisão preventiva de Ribeiro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, porém, acelerou o apoio à abertura de uma CPI para apurar as denúncias de corrupção na pasta. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“No início da tarde de ontem, o senador Eduardo Braga (MDB-AL) endossou a investigação. Pela noite, mais dois parlamentares assinaram o requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP): Soraya Thronicke (União-MS) e Rafael Tenório (MDB-AL), suplente de Renan Calheiros (MDB-AL). Faltava apenas uma assinatura, que foi confirmada há pouco: a do senador Giordano (MDB-SP), parlamentar que assumiu o lugar de Major Olímpio, falecido no ano passado vítima de Covid”, destaca a reportagem.

O senador Randolfe Rodrigues anunciou, para a tarde desta quinta-feira uma entrevista coletiva para detalhar o pedido e os objetivos da CPI. Apesar disso, a abertura da CPI depende de uma decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). A base bolsonarista também deverá pressionar para que a investigação não seja iniciada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email