Serasa: Barbosa merece mais crédito. FHC, apenas R$ 778

Em meio à polêmica do convênio com o TSE, é divulgada lista que a empresa fornece a seus clientes sobre a capacidade de pagamento de cidadãos. Ao presidente do STF recomenda-se limite de R$ 25,9 mil; Lula teria direito a R$ 10,8 mil. Em baixa, Serasa indica que nome de FHC foi consultado até em compra na joalheria Tiffany & Co.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Após polêmica envolvendo o convênio entre o TSE e a Serasa sobre compartilhamento de dados de eleitores, é tornada pública lista de capacidade de pagamento que contém autoridades. Leia a informação de Mônica Bergamo, da Folha:

RANKING
Mais uma saia justa para a Serasa, que na semana passada viu anulado convênio com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pelo qual teria acesso a informações de milhões de eleitores: a publicação, pelo site Consultor Jurídico, dos dados que a empresa divulga a seus clientes sobre a capacidade de pagamento de cidadãos como Dilma Rousseff, Joaquim Barbosa, Fernando Henrique Cardoso, Eike Batista e Tiririca.

RANKING 2
A Serasa sugere a seus clientes um limite de crédito de apenas R$ 2,1 mil para Dilma. Já ao presidente do Senado, Renan Calheiros, recomenda-se limite de R$ 12,7 mil. Joaquim Barbosa, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), é a autoridade que merece mais crédito: R$ 25,9 mil.

RANKING 3
Lula, pela tabela da Serasa divulgada pelo site, merece limite de crédito de R$ 10,8 mil. Já Fernando Henrique Cardoso, de apenas R$ 778. A Serasa, ainda segundo o Consultor Jurídico, indica que FHC foi à Tiffany & Co. fazer compras: seu nome foi consultado pela joalheria no dia 5 de junho.

PARA POUCOS
A Serasa diz que os dados "destinam-se exclusivamente a apoiar os seus clientes na tomada de decisão de crédito e de negócios". O acesso e a publicação das informações, "conforme ocorrido neste caso, ofendem o princípio da destinação das informações, desvirtuam o propósito dos serviços prestados pela empresa e sujeitam os infratores às sanções cabíveis".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email