Situação em Outeiro, onde dique se rompeu, está normalizada

A forte chuva da madrugada de sbado (7) parou e as guas do Rio Muria baixaram, mas a cidade do Rio de Janeiro continua em situao de emergncia, alm de mais seis municpios do Estado

Situação em Outeiro, onde dique se rompeu, está normalizada
Situação em Outeiro, onde dique se rompeu, está normalizada (Foto: JADSON MARQUES/ AGÊNCIA ESTADO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - A situação no distrito de Outeiro, na cidade de Cardoso Moreira, no norte fluminense, onde um dique se rompeu na noite de ontem (8) com a força do Rio Muriaé, está normalizada, informou a Defesa Civil de Campos, município vizinho, que prestou os primeiros socorros às mais de 40 famílias atingidas. A forte chuva da madrugada de sábado (7) parou e as águas do Muriaé baixaram, mas a cidade continua em situação de emergência, além de mais seis municípios.

No momento do rompimento do dique, o subsecretário de Defesa Civil de Campos, major Edson Pessanha, estava na localidade de Três Vendas, em Campos, vizinha de Cardoso Moreira, que ficou completamente alagada após o rompimento de um trecho da BR-356 que servia de barreira para conter as águas do rio.

“Estávamos com um caminhão de bombeiros a cerca de dois quilômetros do local onde o dique se rompeu e conseguimos realizar uma intervenção rápida e remover as famílias em situação de risco. Estamos com um abrigo de emergência 24 horas e controlando as águas do rio. Hoje, vamos continuar o trabalho de remoção das famílias que ainda estão lá”.

De acordo com o subsecretário, em Três Vendas cerca de 30 pessoas ainda insistem em ficar no segundo andar ou na laje das casas. “Essas famílias foram as mesmas que se negaram a sair nas enchentes anteriores, por isso dificilmente devem sair dessa vez. Estamos levando comida e dando suporte com barcos”, explicou o major. Cerca de 500 famílias foram removidas de Três Vendas, que ainda está tomada pelas águas do Muriaé.

Em 2007, o Rio Muriaé já havia destruído parte da BR-356 e alagado Três Vendas. Os moradores ficaram quatro meses com suas casas sob as águas e perderam tudo.

Nesta manhã, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) realiza ação para desobstruir barreira que interdita uma das principais vias de acesso entre Cardoso Moreira e Campos.

De acordo com a Secretaria de Defesa Civil do Rio, até a noite de ontem, 10.759 pessoas estavam desalojadas e 3.980 desabrigadas em todo o estado por conta das chuvas. Itaperuna, Italva e Laje do Muriaé foram os municípios que apresentaram o maior índice de chuvas - um acumulado de 100mm em 24 horas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email