Solnik: Bolsonaro já transforma o Brasil num quartel

O jornalista Alex Solnik condena as falas do clã Bolsonaro; no último domingo (21) Eduardo Bolsonaro propôs uma guerra contra a Venezuela, além do fechamento do STF; "Que uma pessoa idiota tem na cabeça para propor guerra em meio à profunda crise que o Brasil, enfrenta?", questiona o jornalista; " Com esse tipo de fala, a família Bolsonaro pretende transformar o Brasil num quartel", opina Solnik; assista a íntegra do programa Boa Noite 247

Solnik: Bolsonaro já transforma o Brasil num quartel
Solnik: Bolsonaro já transforma o Brasil num quartel
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

TV 247 -  "Bolsonaro já transforma o Brasil num quartel". Esta é a preocupação do jornalista Alex Solnik com as falas da família Bolsonaro, incluindo o fechamento do STF e uma guerra contra a Venezuela. O programa Boa Noite 247 desta terça-feira (23) também abordou o cancelamento do debate na Globo, por desistência de Bolsonaro, além do não apoio do campo liberal à candidatura de Fernando Haddad.

O jornalista Paulo Moreira Leite considera que, ao cancelar o debate, a Rede Globo mostra que já escolheu Bolsonaro como candidato. "As pessoas sabem que tem uma eleição indo para o buraco, no escuro, por falta de debate. Qual a proposta de Bolsonaro?", lamenta.

Durante o ato de extrema-direita em São Paulo, no último domingo (21), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) ameaçou uma invasão brasileira na Venezuela.

Perplexo com a proposta do filho de Bolsonaro, Solnik rechaça a saída bélica. "O Brasil precisa sair da crise econômica, tem que ser muito idiota para propor uma guerra neste momento, as pessoas estão cegas", condena.

Solnik relembra que Eduardo Bolsonaro também propôs o fechamento do STF. "Bolsonaro e sua família já querem transformar o Brasil num quartel", opina.

Inscreva-se na TV 247 e confira o programa Boa Noite 247

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247