Stédile reage ao ataque de Bolsonaro contra escolas dos Sem Terrinha: "Só fascistas preferem milicianos a professores"

Bolsonaro defende "acabar" com as escolas do MST, que, segundo ele, "treinam militantes, hasteiam a bandeira vermelha todo dia e cantam a internacional socialista. Se você falar em verde e amarelo, apanha lá dentro"

Jair Bolsonaro e João Pedro Stédile
Jair Bolsonaro e João Pedro Stédile (Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O líder do Movimento sem Terra (MST), João Pedro Stédile, criticou o ataque de Jair Bolsonaro, feito em transmissão ao vivo nesta quinta-feira (29), contra as escolas dos Sem Terrinha. "Só fascistas preferem milicianos a professores", reagiu Stédile. 

São mais de duas mil unidades das escolas nos assentamentos do MST pelo Brasil, onde vivem mais de 350 mil famílias. Bolsonaro defende "acabar" com o serviço, que, segundo ele, "treina militantes, hasteiam a bandeira vermelha todo dia e cantam a internacional socialista. Se você falar em verde e amarelo, apanha lá dentro". 

"Espero que a burguesia que inventou o capetão crie vergonha. Espero que a CPI da Pandemia analise todos os crimes que ele cometeu. Os familiares dos 400 mil mortos merecem e a sociedade precisa", completou Stédile no fio.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email