STF nega a filho de Lula acesso à delação de Baiano

Lobista Fernando Baiano disse em delação premiada ter repassado R$ 2 milhões que seriam para despesas pessoais da nora do ex-presidente Lula, esposa de Fábio Luís Lula da Silva; segundo a defesa do empresário, o objetivo era ter acesso ao depoimento para "obstar a divulgação de outras notícias falsas" e, caso necessário, processar possíveis caluniadores; solicitação foi negada pelo ministro Teori Zavascki

Lobista Fernando Baiano disse em delação premiada ter repassado R$ 2 milhões que seriam para despesas pessoais da nora do ex-presidente Lula, esposa de Fábio Luís Lula da Silva; segundo a defesa do empresário, o objetivo era ter acesso ao depoimento para "obstar a divulgação de outras notícias falsas" e, caso necessário, processar possíveis caluniadores; solicitação foi negada pelo ministro Teori Zavascki
Lobista Fernando Baiano disse em delação premiada ter repassado R$ 2 milhões que seriam para despesas pessoais da nora do ex-presidente Lula, esposa de Fábio Luís Lula da Silva; segundo a defesa do empresário, o objetivo era ter acesso ao depoimento para "obstar a divulgação de outras notícias falsas" e, caso necessário, processar possíveis caluniadores; solicitação foi negada pelo ministro Teori Zavascki (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki negou pedido feito pelo empresário Fábio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, para ter acesso à integra do depoimento feito pelo lobista Fernando Soares, mais conhecido como Fernando Baiano, em acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

Segundo a defesa de Fábio Luís, o objetivo era ter acesso ao depoimento para "obstar a divulgação de outras notícias falsas" e, caso necessário, processar possíveis caluniadores.

"Enquanto não instaurado formalmente o inquérito, o acordo de colaboração e os correspondentes depoimentos estão sujeitos à tramitação sigilosa", justificou Zavascki em sua decisão. Um outro ponto é que, como Lulinha não é investigado, não pode ter acesso ao conteúdo das delações.

Em sua justificativa, a defesa utiliza como exemplo uma nota publicada pelo jornal O Globo apontando que o lobista teria pago R$ 2 milhões em despesas pessoais de Fábio Luís. O jornal não teria publicado uma nota onde Lulinha negava ter recebido o dinheiro. "Inobstante, o jornal O GLOBO, bem como outros veículos, continuaram, de forma irresponsável, a insistir naquela versão", afirmaram os advogados.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email