Stoppa: com STF acovardado e tucanos blindados, Aécio segue live

O apresentador Leonardo Stoppa desconstrói a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em aceitar a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG); “Aécio nunca irá para cadeia, esse processo não irá seguir, mas se avançar, não irão condená-lo, o STF é acovardado e tem medo do poder dos tucanos. O ex governador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ilustra bem a seletividade da justiça”; Assista a íntegra do programa Léo ao Quadrado

O apresentador Leonardo Stoppa desconstrói a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em aceitar a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG); “Aécio nunca irá para cadeia, esse processo não irá seguir, mas se avançar, não irão condená-lo, o STF é acovardado e tem medo do poder dos tucanos. O ex governador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ilustra bem a seletividade da justiça”; Assista a íntegra do programa Léo ao Quadrado
O apresentador Leonardo Stoppa desconstrói a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em aceitar a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG); “Aécio nunca irá para cadeia, esse processo não irá seguir, mas se avançar, não irão condená-lo, o STF é acovardado e tem medo do poder dos tucanos. O ex governador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) ilustra bem a seletividade da justiça”; Assista a íntegra do programa Léo ao Quadrado (Foto: Lais Gouveia)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

TV 247 - O programa Léo ao Quadrado desta terça-feira (18) abordou os últimos acontecimentos da conjuntura política brasileira, em destaque a seletividade do judiciário brasileiro, que blinda tucanos e age com firmeza quando convém.

Nesta terça-feira (17), A 1ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) aceitou a denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), sob acusação crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Com a decisão, o tucano se tornou réu pela primeira vez.

O apresentador Leonardo Stoppa desconstrói o falso tom de otimismo com a decisão do STF. “No caso do Aécio, a denúncia já veio mal feita, justamente para a defesa esquivar-se do processo e, logo em seguida, será engavetada, beneficiando os amigos tucanos. Infelizmente não a nada a comemorar”, esclarece.

Stoppa questiona a seletividade da justiça. “Para entender como a justiça beneficia o PSDB, é só observar como ela é ágil julgando membros do Partido dos Trabalhadores (PT), todo o tramite do processo do Lula durou apenas seis meses”, compara.

Leonardo Athuch e Stoppa também citaram o caso emblemático do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que foi condenado em segunda instância a doze anos de detenção e permanece livre.

“Em breve, Azeredo completa 70 anos e poderá ter sua pena prescrita”, lamenta Stoppa.

Stoppa avalia que o processo do Aécio não terá nenhum fim punitivo. “Aécio nunca irá para cadeia, esse processo provavelmente não irá seguir, mas se avançar, não irão condená-lo, o STF é acovardado e tem medo do poder dos tucanos”, conclui. 

Inscreva-se na TV 247 e confira o programa Léo ao Quadrado: 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247