Substituto de Machado na Transpetro foi indicado por Jucá

Senador acusado por Sérgio Machado de receber R$ 21 milhões em propina, o senador e ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB-RR) é padrinho político de Claudio Campos, que antes de assumir a presidência da Transpetro, era diretor de Serviços da subsidiária da Petrobras

Senador acusado por Sérgio Machado de receber R$ 21 milhões em propina, o senador e ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB-RR) é padrinho político de Claudio Campos, que antes de assumir a presidência da Transpetro, era diretor de Serviços da subsidiária da Petrobras
Senador acusado por Sérgio Machado de receber R$ 21 milhões em propina, o senador e ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB-RR) é padrinho político de Claudio Campos, que antes de assumir a presidência da Transpetro, era diretor de Serviços da subsidiária da Petrobras (Foto: Gisele Federicce)

247 – O substituto de Sérgio Machado na presidência da Transpetro foi indicado pelo senador e ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB-RR), acusado por Machado de ter recebido R$ 21 milhões em propina.

Segundo nota dos jornalistas Andreza Matais e Marcelo de Moraes, da Coluna do Estadão, Claudio Campos assumiu o comando da subsidiária da Petrobras em março de 2015. Antes, ele ocupava o cargo de diretor de Serviços na estatal.

Machado, que era apadrinhado por Renan Calheiros, disse me sua delação premiada que Jucá "assumiu que era padrinho de Claudio Campos" e que chegou a evitar a sua substituição por considerá-lo "um profissional gabaritado e competente".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247