Taxa de desemprego bate novo recorde no Brasil e atinge 14,6%

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 14,6% no trimestre encerrado em setembro e atingiu um novo recorde, de acordo com dados da Pnad Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No momento, são 14,1 milhões de pessoas em busca de trabalho

Carteira de trabalho, Bolsonaro com Paulo Guedes e fila por emprego
Carteira de trabalho, Bolsonaro com Paulo Guedes e fila por emprego (Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Publicas | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A taxa de desemprego no Brasil subiu para 14,6% no trimestre encerrado em setembro e atingiu um novo recorde, de acordo com dados da Pnad Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados na manhã desta sexta-feira (27). Essa é a maior taxa registrada na série histórica do instituto. A reportagem é do jornal O Globo. 

No momento, são 14,1 milhões de pessoas em busca de trabalho. Mais 1,3 milhão de desempregados entraram na fila do emprego em apenas três meses. Em agosto, a taxa de desemprego já havia batido recorde, 14,4%, acrescenta a reportagem. 

A analista da pesquisa do IBGE, Adriana Beringuy, afirmou que o aumento na taxa de desemprego reflete a flexibilização das medidas de isolamento social para controle da pandemia da Covid-19.

“Houve maior pressão sobre o mercado de trabalho no terceiro trimestre. Em abril e maio, as medidas de distanciamento social ainda influenciavam a decisão das pessoas de não procurarem trabalho. Com o relaxamento dessas medidas, começamos a perceber um maior contingente de pessoas em busca de uma ocupação”, explica.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email