TCU atende denúncia e pede explicações sobre licitação fracassada da Saúde para compra de insumos

O TCU pediu informações ao governo federal sobre a licitação para a compra de seringas e agulhas pelo Ministério da Saúde para a futura vacinação contra o coronavírus. O pregão previa a compra de 331 milhões de seringas, mas 7,9 milhões foram aceitos

(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) pediu informações ao governo federal sobre a licitação para a compra de seringas e agulhas pelo Ministério da Saúde para a futura vacinação contra o coronavírus. O pedido tem como base uma denúncia, cujo autor é mantido sob sigilo. A informação foi publicada pelo portal G1

O ministério abriu licitação para o fornecimento do material em dezembro. A pasta comprou somente 2,4% do total desejado. O pregão previa a compra de 331 milhões de seringas, mas 7,9 milhões foram aceitos porque as ofertas das empresas ficaram acima dos valores máximos previstos pelo ministério.

Os técnicos do TCU concordaram com o denunciante. Entenderam que a compra de seringas e agulhas em conjunto, e não separadamente, poderia ter sido fracionada, ampliando as chances de sucesso.

"Dada a urgência em adquirir o produto, a pasta ministerial deveria buscar dar maior opção para a aquisição do objeto pretendido, contemplando não somente os kits seringa e agulhas montados, mas também a aquisição em separado de tais insumos em observância aos princípios da economicidade e eficiência", diz o relatório.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247