TCU descobre que Ministério da Defesa desviou dinheiro do SUS para Covid e usou em gastos militares, até com uniformes

Segundo determinação do TCU, os ministérios da Defesa e da Economia devem explicar gastos militares com dinheiro que deveria ser usado para o combate à Covid-19. Dos recursos extraordinários desembolsados em 2020 pela União contra a pandemia, a Defesa recebeu R$ 435,5 milhões. Foi gasto, por exemplo, R$ 1 milhão com uniformes

Ministro da Defesa, Walter Braga Netto
Ministro da Defesa, Walter Braga Netto (Foto: Alan Santos/PR | Marcos Santos/USP IMagens | Agência Senado | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que os ministérios da Defesa e da Economia ofereçam explicações sobre gastos de militares com dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS) que deveria ser usado para o combate à pandemia. Dos recursos extraordinários desembolsados em 2020 pela União para o combate à Covid-19, a Defesa, hoje chefiada pelo general Braga Netto, ficou com R$ 435,5 milhões. Do dinheiro que deveria ter ido ao SUS, a pasta gastou R$ 58 mil com material odontológico, R$ 5,99 milhões com energia elétrica, água e esgoto, gás e serviços domésticos. 

Também há despesas com R$ 6,2 milhões na manutenção e a conservação de bens imóveis, R$ 1 milhão com uniformes, R$ 225,9 mil com material de cama, mesa e banho, e com R$ 25,5 mil em material de coudelaria ou de uso zootécnico. As estatísticas foram publicadas nesta quarta-feira (4) em reportagem do jornal O Estado de S.Paulo

Outros R$ 100 milhões foram para despesas médico-hospitalares com materiais e serviços em hospitais militares, "sem que se tenha prova de que foram gastos em benefício da população em geral, ao invés de apenas atender aos hospitais militares, os quais se recusaram a ceder leitos para tratamento de pacientes civis com covid-19".

PUBLICIDADE

No despacho, o ministro do TCU Bruno Dantas deu 15 dias para que o Ministério da Defesa e o da Economia, de Paulo Guedes, apresentem explicações. Eles deverão esclarecer as orientações às unidades orçamentárias para a execução dos créditos da Saúde.

Os indícios de mau uso da verba vieram à tona em estudo da procuradora Élida Graziane, do Ministério Público de Contas de São Paulo, enviado à CPI da Covid. No relatório, a procuradora destacou ser necessário que a "CPI da Pandemia, o MPF (Ministério Público Federal), o TCU (Tribunal de Contas da União) e o CNS (Conselho Nacional de Saúde) apurem, mais detidamente, a motivação e a finalidade de várias despesas oriundas de recursos do Fundo Nacional de Saúde realizadas por diversos órgãos militares".

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email