Temer não paga reajuste do Bolsa Família concedido por Dilma

Presidente interino não pagou o reajuste de 9% previsto para este mês aos beneficiários do programa e que havia sido anunciado pela presidente Dilma no ato de 1º de maio; o aumento elevou o benefício médio para R$ 176; quando anunciou a medida, Dilma explicou que ela estava prevista na proposta de orçamento enviada para o Congresso em 2015; em Recife, nesta sexta, ela disse que o não pagamento foi "mesquinharia"; "Custa menos de R$ 1 bilhão, mas ao mesmo tempo vão e aumentam o deficit e dão aumento para todos que lhe interessam. É esse o governo da desigualdade, da mesquinharia com o povo pobre desse país", criticou; o governo interino disse que está estudando o projeto de reajuste, mas não deu prazo para conclusão

Presidente interino não pagou o reajuste de 9% previsto para este mês aos beneficiários do programa e que havia sido anunciado pela presidente Dilma no ato de 1º de maio; o aumento elevou o benefício médio para R$ 176; quando anunciou a medida, Dilma explicou que ela estava prevista na proposta de orçamento enviada para o Congresso em 2015; em Recife, nesta sexta, ela disse que o não pagamento foi "mesquinharia"; "Custa menos de R$ 1 bilhão, mas ao mesmo tempo vão e aumentam o deficit e dão aumento para todos que lhe interessam. É esse o governo da desigualdade, da mesquinharia com o povo pobre desse país", criticou; o governo interino disse que está estudando o projeto de reajuste, mas não deu prazo para conclusão
Presidente interino não pagou o reajuste de 9% previsto para este mês aos beneficiários do programa e que havia sido anunciado pela presidente Dilma no ato de 1º de maio; o aumento elevou o benefício médio para R$ 176; quando anunciou a medida, Dilma explicou que ela estava prevista na proposta de orçamento enviada para o Congresso em 2015; em Recife, nesta sexta, ela disse que o não pagamento foi "mesquinharia"; "Custa menos de R$ 1 bilhão, mas ao mesmo tempo vão e aumentam o deficit e dão aumento para todos que lhe interessam. É esse o governo da desigualdade, da mesquinharia com o povo pobre desse país", criticou; o governo interino disse que está estudando o projeto de reajuste, mas não deu prazo para conclusão (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente interino Michel Temer não concedeu o reajuste de 9% previsto para este mês aos beneficiários do programa Bolsa Família. A informação foi confirmada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, responsável pela gestão do programa, que atende 13,9 milhões de famílias no país.

O anúncio do reajuste foi feito pela presidente Dilma Rousseff durante ato no dia 1º de maio, em São Paulo (relembre aqui). O reajuste elevou o benefício médio para R$ 176 (aqui).

"O governo Dilma ficou dois anos sem dar reajuste no Bolsa Família. Estamos fazendo uma avaliação nos cortes promovidos pelo governo anterior, que chegam a R$ 1,6 bilhão, para poder conceder o reajuste", informou o ministério em nota ao portal UOL. O texto diz ainda que não há data para a conclusão de estudos sobre as possibilidades de reajuste do benefício.

O pagamento do benefício do mês de junho começou nesta sexta-feira (17), contemplando as famílias com número final de inscrição "1". Ao todo, o pagamento do programa social ocorre em dez datas diferentes. Este mês, o calendário oficial vai até o dia 30 de junho, quando são pagos os beneficiários com número final "0".

Quando anunciou a medida, Dilma explicou que a proposta estava prevista na proposta de orçamento enviada para o Congresso, em 2015. "Essa proposta estava prevista, e diante do quadro atual, tomamos medidas que garantem aumento na receita neste ano e nos próximos para viabilizar esse aumento no Bolsa Família. Tudo isso sem comprometer o cenário fiscal", afirmou ela.

Em Recife, nesta sexta-feira (17), Dilma Rousseff comentou o não pagamento do reajuste e disse que se trata de "mesquinharia".

"Não pagaram o reajuste do Bolsa Família, de 9%, que nós tínhamos deixado os recursos e aprovado direitinho, todas as condições para ser pago. Aí vocês vejam, quanto custa isso? Custa menos de R$ 1 bilhão, mas ao mesmo tempo vão e aumentam o deficit e dão aumento para todos que lhe interessam, que montam na casa de R$ 56 bilhões. Para o povo pobre, R$ 1 bilhão é muito; para os ricos, R$ 56 bilhões é pouco. É esse o governo da desigualdade, da mesquinharia com o nosso povo. Não pagar o reajuste do Bolsa Família é uma mesquinharia com o povo pobre desse país", disse.

Para Dilma, essa decisão "mostra a verdadeira alma, o verdadeiro intuito, o verdadeiro objetivo desse governo provisório, ilegítimo e interino, que é reduzir o máximo que puderem dos direitos conquistados, dos direitos sociais, dos direitos de cada um dos brasileiros, principalmente daqueles mais pobres". 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247