Temer: 'possibilidade de atraso em votações no Congresso preocupa'

O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse nesta segunda (19) que os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e da Casa Civil, Jaques Wagner, manifestaram “preocupações” com a possibilidade de haver atraso nas votações de interesse do governo; Temer afirmou que “todos farão o possível para votar mais rapidamente essas matérias”; Todos “estão empenhados” nesse esforço, destacou

O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse nesta segunda (19) que os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e da Casa Civil, Jaques Wagner, manifestaram “preocupações” com a possibilidade de haver atraso nas votações de interesse do governo; Temer afirmou que “todos farão o possível para votar mais rapidamente essas matérias”; Todos “estão empenhados” nesse esforço, destacou
O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse nesta segunda (19) que os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e da Casa Civil, Jaques Wagner, manifestaram “preocupações” com a possibilidade de haver atraso nas votações de interesse do governo; Temer afirmou que “todos farão o possível para votar mais rapidamente essas matérias”; Todos “estão empenhados” nesse esforço, destacou (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse hoje (19) que os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e da Casa Civil, Jaques Wagner, manifestaram “preocupações” com a possibilidade de haver atraso nas votações de interesse do governo.

Após se encontrar nesta tarde, separadamente, com os dois ministros, Temer afirmou que “todos farão o possível para votar mais rapidamente essas matérias”. Todos “estão empenhados” nesse esforço, destacou o presidente em exercício.

“Nós falamos apenas da DRU [Desvinculação das Receitas da União] e repatriação [de recursos legais mantidos no exterior]. Naturalmente, [Levy e Wagner] vieram trazer preocupações referentes a eventual atraso nessas votações”, acrescentou Temer, que respondeu a perguntas de jornalistas ao deixar o gabinete da Vice-Presidência no Palácio do Planalto.

Questionado sobre a possibilidade de a crise que envolve o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), dificultar as votações, Temer, que é também presidente do partido, disse que prefere aguardar os desdobramentos da situação.

Sobre as informações que circularam na semana passada sobre um suposto pedido de demissão do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, o presidente em exercício respondeu: “acho que isso é boato”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247