Temer quer acordo de leniência com empresas na Lava Jato

Ministério da Transparência já autorizou e o governo interino de Michel Temer quer fechar no começo deste segundo semestre o primeiro acordo de leniência da União envolvendo empresas investigadas pela Operação Lava Jato; acordo aguarda a chancela da Advocacia-Geral da União (AGU) e beneficia as agências de publicidade FCB e Mullen Lowe Brasil, Borghi Lowe; empresas são acusadas de pagar propina para conseguir contratos na Petrobras, Caixa Econômica Federal e no Ministério da Saúde; governo também avalia fechar em breve acordo de leniência com a empresa holandesa SBM Offshore, ligada ao esquema de desvios da Petrobras

Brasília - DF, 20/06/2016. Presidente em Exercício Michel Temer durante reunião com governadores das unidades federativas do Brasil. Foto: Marcos Corrêa/PR
Brasília - DF, 20/06/2016. Presidente em Exercício Michel Temer durante reunião com governadores das unidades federativas do Brasil. Foto: Marcos Corrêa/PR (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle já autorizou e o governo interino de Michel Temer (PMDB) quer fechar no começo deste segundo semestre o primeiro acordo de leniência da União envolvendo empresas investigadas pela Operação Lava Jato. O acordo aguarda a chancela da Advocacia-Geral da União (AGU) e beneficia as agências de publicidade FCB e Mullen Lowe Brasil, Borghi Lowe.

Essas empresas são acusadas de pagarem propina para conseguir contratos na Petrobras, Caixa Econômica Federal e no Ministério da Saúde. A indenização foi calculada em R$ 50 milhões e foi estimada em cima do faturamento nos últimos cinco anos em contratos assinados pelas empresas que envolveram irregularidades.

Além das duas agências, o governo interino também avalia fechar em breve acordo de leniência com a empresa holandesa SBM Offshore, ligada a esquema de desvios da Petrobras. Segundo a Folha de São Paulo, o valor final de devolução de recursos pela empresa ficou em R$ 1,2 bilhão. No final de junho, Temer formou grupo de trabalho para discussão de um novo marco legal para os acordos de leniência.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247