Temer vai sugerir a Bolsonaro tramitar a reforma da Previdência

Ele disse em pronunciamento ter "absoluta convicção" de que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, fará "um governo de muita paz e muita harmonia, que é mais o que o nosso país necessita" e que a transição de governo já está "praticamente formatada e organizada" e terá início na segunda-feira

Temer vai sugerir a Bolsonaro tramitar a reforma da Previdência
Temer vai sugerir a Bolsonaro tramitar a reforma da Previdência (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O presidente Michel Temer disse em pronunciamento neste domingo ter "absoluta convicção" de que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, fará "um governo de muita paz e muita harmonia, que é mais o que o nosso país necessita".

De acordo com Temer, as primeiras declarações de Bolsonaro, com quem falou por telefone, como presidente eleito buscam a unidade, a pacificação e a harmonia do país.

"Seguramente, eu posso dizer, testemunhando as palavras do presidente eleito, que ele buscará precisamente isso", disse Temer em Brasília.

O presidente afirmou ainda que a transição de governo já está "praticamente formatada e organizada" e terá início na segunda-feira, acrescentando que deve se encontrar com Bolsonaro em algum momento desta semana.

Segundo Temer, quando houver oportunidade, pretende conversar com Bolsonaro para oferecer a ideia de tramitar a reforma da Previdência, que segundo ele já está "formatada e pronta para ser votada".

Temer afirmou que se o Congresso quiser modificar "demais aquilo que já está pronto para ser votado, evidentemente não dá tempo", mas se Bolsonaro quiser avançar com a proposta que está pronta, dois meses podem ser suficientes.

"Devo esclarecer que ela só irá adiante se evidentemente tiver o apoio do presidente eleito e da sua equipe. Se isso ocorrer, eu acho que ainda é possível realizá-la nesse ano", disse Temer a jornalistas em Brasília.

"A estrada estará inteiramente asfaltada para o próximo governo."

Bolsonaro derrotou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) no segundo turno da eleição presidencial. Com 97,4 por cento das urnas apuradas, o candidato do PSL tinha 55,4 por cento dos votos válidos, contra 44,6 por cento do petista.

Por Laís Martins, em São Paulo

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247